Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mike Pence em Israel

Mike Pence em Israel
Tamanho do texto Aa Aa

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, chegou a Israel, no quadro de uma digressão pelo Médio Oriente, que o levou também ao Egito e à Jordânia, numa visita marcada pela nova política da Administração Trump em relação a Jerusalém.

Mike Pence foi recebido pelo ministro israelita do Turismo no aeroporto Internacional Ben-Gurion, em Telavive.

Espera-se que o vice-presidente dos Estados Unidos discurso perante o Knesset, embora os representantes da comunidade árabe-israelita já tenham dito que pretendem boicotar o projeto.

A visita foi boicotada pelos palestinianos, depois do presidente Donald Trump ter anunciado que os Estados Unidos iriam transferir a embaixada de Telavive, internacionalmente reconhecida como capital do Estado de Israel, para Jerusalém.

A visita do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, foi boicotada pelos palestinianos, que acusam Washington de ter perdido a legitimidade como mediador do processo de paz depois de anunciar a transferência da embaixada para Jesuralém.Reuters

É a a visita de uma representação norte-americana de mais alto nível desde que o presidente Trump tomou a decisão, no início de dezembro último. O estatuto da cidade de Jerusalém é um obstáculo fundamental para a paz entre israelitas e palestinianos.

A visita de Pence foi alvo de protestos de palestinianos perto da Igreja da Natividade, em Belém, que gritaram palavras de ordem contra o representante dos EUA e ergueram cartazes com a expressão "Pence go home."

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, descreveu a chegada de Pence como "a visita de um grande amigo" e dirigiu-se ao presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, considerando que não havia alternativa "à liderança norte-americana" no processo diplomático e que "quem recusar a mediação dos EUA, está a recusar a paz."

Antes de chegar a Israel, Mike Pence encontrou-se com os líderes do Egito e da Jordânia, a quem disse que procurava incrementar as possibilidades de que o processo de paz avance.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse que o vice-presidente dos EUA era "um grande amigo de Israel" e disse aos palestinianos que, se não queriam falar com os EUA, não queriam a paz.Reuters.

Israel entende que Jerusalém unificada é, depois da anexação de Jerusalém-leste, "a capital eterna do Estado de Israel." A anexação nunca foi reconhecida pela Comunidade Internacional.

Os Palestinianos anseiam pelo estabelecimento da capital de um futuro Estado independente em Jerusalém-leste.

Mike Pence disse, durante um encontro com o Rei Abdullah da Jordânia, que estava comprometido com uma "solução de dois Estados", se "ambas partes assim o quisessem".

Depois do falhanço de mais uma tentativa de chegar à paz, com a mediação dos Estados Unidos, em 2014, a nova Administração Trump prometeu "o acordo do século" entre israelitas e palestinianos.