Última hora
This content is not available in your region

Sobem para 115 as vítimas mortais dos incêndios de 2017 em Portugal

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques com Lusa
Balanço de vítimas dos trágicos incêndios do ano passado agrava-se
Balanço de vítimas dos trágicos incêndios do ano passado agrava-se   -   Direitos de autor  REUTERS/ Rafael Marchante
Tamanho do texto Aa Aa

Uma mulher morreu este sábado no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, onde estava internada devido a ferimentos graves sofridos nos incêndios ocorridos em outubro no norte e centro do país, confirmou à agência Lusa fonte do hospital.

A mesma fonte detalhou que a mulher teria mais de 70 anos.

É a 49ª vítima mortal dos incêndios que deflagraram entre os dias 14 e 16 de outubro de 2017 no norte e centro de Portugal. No balanço geral, incluindo também os incêndios de junho no centro do país, com foco em Pedrógão Grande, são agora 115 as vítimas mortais.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou as condolências à família.

"O Presidente da República apresentou condolências à família de Maria Arminda Nogueira Vicente, de aldeia de Chão de Vento, freguesia de Sobral, Mortágua, vítima dos incêndios de outubro passado e que hoje [sábado] faleceu, depois de uma longa agonia", lê-se na página da Presidência.

Na terça-feira, a Comissão Técnica Independente que analisou os grandes incêndios rurais de 2017 entregou no parlamento o relatório dos fogos de outubro, envolvendo oito distritos das regiões Centro e Norte.

O documento, que atualizava então de 46 para 48 o número de mortos nesse mês, conclui que falhou a capacidade de "previsão e programação" para "minimizar a extensão" dos incêndios.