Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Winnie Mandela: morreu a polémica "mãe da nação"

Nelson Mandela e a esposa Winnie, quando foi libertado em fevereiro de 1990
Nelson Mandela e a esposa Winnie, quando foi libertado em fevereiro de 1990 -
Direitos de autor
REUTERS/Ulli Michel/Arquivo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Figura essencial mas também polémica da luta contra o apartheid, Winnie Mandela continua a ser vista por muitos sul-africanos como a "mãe da nação".

Após a notícia da morte, várias centenas de apoiantes da ex-mulher de Nelson Mandela deslocaram-se em homenagem à sua residência no Soweto, em Joanesburgo, bem como elementos da classe política, incluíndo o presidente Cyril Ramaphosa, que destacou o "impacto no continente africano" de uma mulher que classificou de "bastante galante e corajosa".

A ex-primeira-dama da África do Sul morreu esta segunda-feira aos 81 anos de doença prolongada, depois de ter sido hospitalizada várias vezes desde o início do ano.

O casal que formou com Nelson Mandela durante mais de três décadas personificou o intenso combate do país contra a segregação.

Mas um discurso cada vez mais violento e as acusações de assassinato contra os seus guarda-costas acabaram por separá-la do marido e a Comissão da Verdade e Reconciliação chegou mesmo a considerá-la "política e moralmente responsável por grosseiras violações de Direitos Humanos".