Última hora

Última hora

O mapa de Basilicata sai de Itália para o mundo

Em leitura:

O mapa de Basilicata sai de Itália para o mundo

O mapa de Basilicata sai de Itália para o mundo
Tamanho do texto Aa Aa

Francesco Paolicelli e Emanuele Cifarelli acabam o pequeno-almoço e começam o dia na pequena cidade de Matera, em Basilicata, uma região do sul de Itália com um património natural e cultural de vulto, mas economicamente deprimida e isolada.

Os dois artesãos integraram o Mapping Basilicata, um ousado projeto financiado pela União Europeia, que envolveu uma centena de empresas locais dos setores agro-alimentar, da moda e do mobiliário.

O projeto global de desenvolvimento de capacidade da região foi avaliado em 1.260 milhões de euros, dos quais 630 milhões, precisamente metade, provieram de Fundos Europeus de Coesão, entre 2007 e 2013.

O Mapping Basilicata convidou 7 designers estrangeiros, para mergulharem 10 dias no ambiente de Matera. Com 7 empresas locais e a inspiração das milenares pedras de Matera, com grutas habitadas até aos anos 50 e que remontam há 9 mil anos, nasceu uma colecção de móveis.

"O sofá foi inspirado no horizonte das Pedras. Nao é mais do que uma foto muito contrastada do perfil da cidade. Sobre esse perfil estão anotadas as portas e janelas das Pedras, dos Sassi di Matera", diz à Euronews Francesco Paolicelli.

A empresa de derivados de poliestireno de Emanuele Cifarelli participou na coleção, que apresentou o seu know-how além-fronteiras italianas, da Alemanha aos Estados Unidos, Rússia, Japão e Reino Unido.

"Cada peça da coleção foi feita por 7 empresas locais, direta ou indiretamente. Esta dinâmica coletiva permitiu-me perceber que, se há resultados a atingir, há que nos confrontarmos", conta Emanuele.

SMART REGIONS | Mapping Basilicata

Deste confronto constante, mas evolutivo nasceu CASAMATERA, um dos 3 grupos de pequenas e médias empresas regionais formados no Mapping Basilicata.

CASAMATERA está no mercado do mobiliário e há também os grupos de empresas do sector da moda e do agro-alimentar.

Numa região onde o isolamento empresarial e o trabalho individualizado primavam, o projeto colaborativo enraizou-se na natureza de Matera e lançou-se na visibilidade da internacionalização.

Uma nova cultura de trabalho em rede que Basilicata espera capitalizar economicamente com Matera eleita Capital da Cultura em 2019.