EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Políticas migratórias aquecem Bundestag

Políticas migratórias aquecem Bundestag
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Merkel enfrentou o parlamento alemão e a oposição de vários partidos quanto ao acordo celebrado entre a CDU e a CSU sobre a imigração na Alemanha.

PUBLICIDADE

Depois do acordo entre os partidos da coligação, o embate no parlmento.

No Bundestag, Angela Merkel tentou justificar a solução encontrada entre a CDU e a CSU para as questões migratórias na Alemanha. "É preciso haver mais ordem em todos os tipos de migração, para que as pessoas sintam que a lei e a ordem estão reforçadas. Essa é a nossa tarefa e a nossa preocupação", defendeu a chanceler alemã.

Merkel tem agora a árdua tarefa de convencer o outro partido da coligação, o SPD, a aceitar o acordo. No debate, contou com a oposição de Andrea Nahles, líder do Partido Social-Democrata (SPD): "Nenhuma ação unilateral nacional, os procedimentos legais devem ser cumpridos. Rejeitamos campos fechados".

Caso os Social-Democratas recusem o acordo, a Alemanha pode voltar a eleições. O SPD tem apoiado as ideias da chanceler alemã quanto à imigração, mas mostrou-se muito crítico da criaçâo de centros de trânsito para imigrantes

No entanto, é da esquerda vêm as maiores críticas, ao acusarem os partidos conservadores da coligação de não estarem a contemplar a crise humanitária que as medidas aprovadas podem gerar. "Vocês já não estâo preocupados com soluções humanas. É tudo sobre poder, sobre querer ter razão à força. E a humanidade fica-se pelo caminho", criticou Dietmar Bartsch, líder de A Esquerda.

Depois de ter tentado chegar a um consenso com os líderes europeus sobre as políticas migratórias comunitárias, é dentro de casa que Merkel tem agora o maior desafio.

No debate do orçamento, os nacionalistas pediram a demissão da chanceler alemã, que tenta agora resolver a crise no seu próprio governo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Viena "pronta para responder" às medidas de Merkel nas fronteiras

Merkel e Seehofer chegam a acordo sobre migração

Futuro político de Merkel em risco