Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Atentados na Catalunha, um ano depois

Atentados na Catalunha, um ano depois
Tamanho do texto Aa Aa

Foi precisamente há um ano que o terror invadiu a Catalunha com os atentados em Barcelona e Cambrils, em Tarragona.

Ainda mal refeitos do choque, familiares das vítimas mortais prestaram esta sexta-feira homenagem entre as denúncias, por parte de outras vítimas, feridos ou pessoas traumatizadas, de "abandono" dos políticos e das administrações.

Mas ainda que esta seja uma data de dor, a presença de Felipe VI, numa cerimónia na Praça da Catalunha, não foi bem recebida por setores separatistas. Entre palmas e assobios ao rei de Espanha, as associações de apoio às vítimas pedem "que não se use a dor alheia para fazer política."

Os atentados de Las Ramblas e Cambrils provocaram a morte de 16 pessoas, entre elas duas portuguesas, e fizeram 120 feridos. Os seis autores materiais dos ataques foram mortos pela polícia.

Ferida, Barcelona vive hoje sob o lema "Uma cidade de paz."