Última hora

Última hora

O fim da "Primavera de Praga" em fotos

Em leitura:

O fim da "Primavera de Praga" em fotos

O fim da "Primavera de Praga" em fotos
Tamanho do texto Aa Aa

Por ocasião do quinquagésimo aniversário da invasão soviética que pôs fim à "Primavera de Praga", a capital da República Checa acolhe duas exposições de fotografia centradas neste episódio crucial da história do país.

Dana Kyndrova, curadora da exposição na Antiga Câmara Municipal de Praga, tinha 13 anos na época e diz lembrar-se "de toda a situação, em particular quando se viveram os momentos mais dramáticos, junto ao edifício da Rádio Checoslovaca. Foi aí que os depósitos de combustível dos tanques começaram a explodir e os seus canhões a descer e nós não sabíamos se eles iam disparar contra nós. E como não sabíamos, começámos a correr pela rua abaixo, enquanto o meu pai gritava para que eu fosse para casa".

A invasão soviética de 20 de agosto de 1968 pôs fim a um curto período de reformas liberais e deu início a duas décadas de ocupação que só terminaram com a Revolução de Veludo de 1989.

No Museu de Artes Decorativas de Praga são exibidas as imagens capturadas há cinco décadas por Josef Koudelka. O fotógrafo checo diz que, na altura, "não era importante se era comunista ou não, intelectual ou operário, o que era importante era que eramos todos nós contra eles. E é por isso que penso que todas as fotos de arquivo, tal como as minhas, são importantes. Porque mostram que atuámos como uma nação".

Depois de Praga, as fotografias icónicas de Koudelka viajarão ainda este ano até à Polónia, Bélgica, Itália, China e Rússia.