Última hora

Última hora

Richard Bellia: "Um olho sobre a música"

Em leitura:

Richard Bellia: "Um olho sobre a música"

Richard Bellia: "Um olho sobre a música"
Tamanho do texto Aa Aa

Tudo começou em 1980 durante um concerto do grupo britânico, The Cure. Estava assim traçado o percurso de vida do jovem fotógrafo. Algumas décadas mais tarde o fotógrafo, agora com 56 anos de idade, deslocou-se a Atenas para inaugurar a exposição dos seus trabalhos, "Richard Bellia: um olho sobre a música".

"Aqueles que se acham o máximo fazem música atroz. É uma regra. E é verdade!"

Richard Bellia Fotógrafo

Ao longo de quase quatro décadas, a lente de Richard Bellia captou para a posteridade alguns dos momentos mais emblemáticos da música popular.

Depois de Atenas, a exposição seguirá para outros destinos em jeito de digressão mundial. Mas para o fotógrafo, o importante não são as imagens mas sim a música.

"Não gosto muito de fotografia. Isso não me interessa muito. Prefiro concentrar-me e passar o tempo a escutar música. Prefiro a companhia das pessoas que gostam de música. Os fotógrafos são todos iguais. Prefiro escutar música. A música é o meu primeiro amor", afirma Richard Bellia.

Em 2016, o artista francês publicou imagens do seu arquivo num livro ilustrado: "Um olho sobre a música: Textos e fotografias 1980 - 2016".

O repórter da euronews, Yorgos Mitropoulos, esteve presente na inauguração e afirma que se trata de "uma autêntica enciclopédia com imagens. Este livro inclui mais de 1000 fotos de dezenas de estrelas do rock das últimas quatro décadas".

Mas atrás das imagens escondem-se histórias, milhares de histórias das estrelas com quem se cruzou. E como não há nada como ouvir de quem sabe, aqui fica o conselho deste mestre das artes visuais:

"As pessoas que eu fotografo querem que as pessoas se concentrem na música.
Não querem saber se são bonitos ou não. Aqueles que se acham o máximo fazem música atroz. É uma regra. E é verdade!"

A exposição está aberta ao público até dia 14 de outubro. Depois segue para Itália e França, em jeito de digressão mundial.

Mais sobre Cult