Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Brexit e taxas dos EUA assombram Cimeira Ásia-Europa

Brexit e taxas dos EUA assombram Cimeira Ásia-Europa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O que é que pode juntar o presidente da Comissão Europeia, o presidente do Cazaquistão, a primeira-ministra britânica, o primeiro-ministro japonês, o presidente da França e o primeiro-ministro russo?

A cimeira Ásia-Europa, que decorre sob um clima de tensões comerciais, provocadas pelos Estados Unidos. A Europa está determinada a fortalecer os laços comerciais com a Ásia e o acordo assinado esta sexta-feira com Singapura, em Bruxelas, aproxima o bloco europeu de um pacto mais alargado com o sudeste asiático.

A Euronews perguntou ao ministro dos Negócios Estrangeiros de Singapura se esta era uma resposta às políticas de Trump. "Não, porque penso que o acordo de livre comércio UE-Singapura é um projeto que foi trabalhado durante muitos anos, muito antes de o presidente Trump ter sido eleito. Acho que é porque, em última análise, qualquer acordo comercial tem que ser baseado num interesse fundamental. Para a UE, esta é uma oportunidade para as suas empresas acederem ao mercado asiático, que está a crescer rapidamente, e em particular, aos mercados do Sudeste Asiático", respondeu S. Iswaran.

"Se houver um acordo com a UE é uma coisa. Caso não haja teremos de ver como vamos construir a cooperação com os britânicos e neste caso o acordo entre a UE e Singapura pode ser um ponto de referência", realçou S. Iswaran.

Para muitos, a cimeira Ásia-Europa foi assombrada pelo Brexit.