A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Theresa May não recua e insiste que acordo Brexit é para avançar

Theresa May não recua e insiste que acordo Brexit é para avançar
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Theresa May não desiste do acordo Brexit. Para a primeira-ministra britânica, "alcançar um bom acordo para o Reino Unido é alcançar um bom acordo para a União Europeia".

May dirigiu-se aos jornalistas após um dia caótico, com uma onda de demissões no seu executivo e uma receção hostil na Câmara dos Comuns, e deixou bem claro que não se desvia do seu rumo:

"Acredito profundamente que o caminho que tracei é o melhor para o país e para o povo britânico. Desde o início que quero assegurar-me que a vontade manifestada pela população no referendo é respeitada. É exatamente isso que este acordo nos garante: o fim da circulação livre, o fim dos pagamentos avultados à União Europeia, o fim da jurisdição do Tribunal Europeu, o fim da Política Agrícola Comum, o fim da Política Comum de Pescas... Este é um acordo para o Brexit que reflete as prioridades da população britânica."

Os críticos acusam May de estar em negação, mas para a primeira-ministra britânica não existe outra opção:

"Ninguém apresentou uma alternativa capaz de respeitar o resultado do referendo e ao mesmo tempo garantir que não existe uma fronteira física entre Irlanda do Norte e Irlanda. Compreendo que algumas pessoas sintam desconforto com os detalhes da salvaguarda, particularmente com a necessidade de consenso para a denunciar. Mas não podemos escapar de um facto: não pode existir acordo sem a salvaguarda a agir como uma apólice de seguro contra o regresso às fronteiras do passado."

O chumbo provável no parlamento lança dúvidas sobre o futuro. Os defensores de um novo referendo parecem ter ganho força nas últimas horas mas Theresa May recusa regressar ao passado e começar tudo de novo:

"No que me diz respeito, não haverá um segundo referendo. Perguntámos às pessoas o que pensavam e disseram que devíamos deixar a União Europeia. É o que vamos fazer a 29 de março de 2019."