Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Austrália reconhece Jerusalém-Ocidental como capital de Israel

Austrália reconhece Jerusalém-Ocidental como capital de Israel
Direitos de autor
AAP Image/Mick Tsikas via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

A Austrália reconhece Jerusalém-Ocidental como capital de Israel. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, Scott Morrison, este sábado. O chefe do governo anunciou, no entanto, que a embaixada do país só mudará para a cidade santa quando houver um acordo de paz.

"A Austrália agora reconhece que Jerusalém-Ocidental, sendo a sede do Knesset - parlamento israelita - e de muitas das instituições do governo, é a capital de Israel. Jerusalém-Ocidental é a capital de Israel. E estamos ansiosos para mudar a nossa embaixada para Jerusalém-Ocidental assim que possível, mas só após um estatuto final de determinação".

O governo australiano mostra-se também pronto a reconhecer a parte Leste de Jerusalém como capital de um futuro estado palestiniano.

O estatuto de Jerusalém, num futuro contexto de dois estados, tem sido um dos principais pontos de discórdia entre israelitas e palestinianos em todas as tentativas de acordos de paz.

Donald Trump abriu a caixa de Pandora do estatuto de Jerusalém ao anunciar em dezembro de 2017 o reconhecimento por parte dos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel e ao inaugurar em maio de 2018 a embaixada americana na cidade santa.

A decisão do governo australiano cai nas boas graças de Washington, mas arrisca-se a contribuir para o aumento da tensão na região.