A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Hungria: Deputados da oposição expulsos da televisão pública

Hungria: Deputados da oposição expulsos da televisão pública
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na Hungria, dois deputados independentes que tentavam fazer ler uma petição na televisão pública foram expulsos de forma violenta. Tinham passado a noite no edifício com outros parlamentares, após a manifestação de domingo contra a lei que vai permitir que os empregadores peçam aos trabalhadores que trabalhem até 400 horas extraordinárias por ano.

A oposição tentou bloquear o voto no parlamento na quarta-feira, sem sucesso, o que fez milhares de pessoas sairem às ruas.

A deputada, Bernadett Szél, conta o que se passou no interior do edifício da televisão: "Nós estávamos cercados por muitos membros armados da equipa de segurança, identifiquei quatro agências de segurança diferentes, mas não pudemos falar com nenhum dos diretores ou editores da televisão estatal. Tentámos encontrar alguns diretores ou editores nos gabinetes, mas não nos deixaram entrar. Quando quisémos ir para o andar de cima, eles avisaram-nos que as escadas são escorregadias ".

Ákos Hadházy diz, por seu turno: "Tudo foi empolado aqui por estas ações, mas isto é só o começo, nós temos muito que fazer para derrubar este bastião. Infelizmente os media estatais são o símbolo da propaganda suja e má do governo e da ditadura de desinformação criada pelo governo".

Após a expulsão dos dois deputados, o acesso ao edifício foi cortado. Outros parlamentares chegaram pela manhã e tentaram entrar por outra porta, mas foram impedidos.

Gergely Arató, da Coligação Democrática, afirma: "Eu e o meus colegas esperamos entrar no edifício da televisão, proque é uma instituição financiada publicamente e tem que servir a todos. Nós achamos escandaloso que eles não nos deixem entrar dizendo que isto é uma propriedade privada".

A administração da televisão apresentou queixa contra os deputados da oposição, alegando perseguição aos trabalhadores e tentativa de perturbação da emissão.

O jornalista da Euronews, Gábor Kiss, reporta: "Enquanto os parlamentares da oposição eram expulsos da sede da televisão estatal, e outros, que chegaram de manhã, viram a entrada negada, a televisão pública não fez referência ao assunto nos seus noticiários. Em vez disso, noticiou as manifestações contra a migração em toda a Europa ".