'Lei do Escravo' agita protestos contra Viktor Orbán

'Lei do Escravo' agita protestos contra Viktor Orbán
De  João Paulo Godinho com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Alterações do governo ao Código do Trabalho levaram milhares de pessoas em protesto para as ruas.

PUBLICIDADE

Um coro de protestos ergueu-se esta sexta-feira contra o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, em Budapeste.

Milhares de pessoas juntaram-se numa manifestação promovida pelo partido satírico do Cão com Duas caudas, criado há pouco mais de uma década, para contestar as alterações ao Código do Trabalho.

O foco do descontentamento está centrado na já designada lei do escravo, que vai permitir aos empregadores exigirem até 400 horas extraordinárias por ano aos funcionários.

A manifestação juntou-se às ações de outros grupos da oposição e teve como destino o Parlamento na capital húngara.

À euronews, várias pessoas apontam o dedo a Orbán pela atmosfera "sufocante" criada na política do país, acusando o líder do governo de "arrogância" e de "não ouvir a voz do povo".

A concentração de manifestantes chegou mesmo a bloquear durante algum tempo uma ponte sobre o rio Danúbio. Enquanto isso, luzes projetavam a mensagem O1G, uma abreviatura pejorativa para Viktor Orban.

O primeiro-ministro já acusou o multimilionário George Soros, de origem húngara, de estar por detrás destes protestos. Uma acusação que a organização Open Society Foundation, financiada pelo investidor, já desmentiu.

Os líderes da manifestação anunciaram ainda o nascimento de uma nova oposição ao governo, garantindo também que os protestos vão continuar em janeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de húngaros manifestam-se para exigir reformas na proteção das crianças

Manifestantes pedem demissão de Viktor Orbán após resignação da presidente húngara

Presidente da Hungria demite-se devido a escândalo de abuso sexual de menores