A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O Tratado do Eliseu de 1963

O Tratado do Eliseu de 1963
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Há 56 anos, no dia 22 de janeiro de 1963, o presidente francês Charles De Gaulle e o chanceler alemão Konrad Adenaueur assinaram o Tratado do Eliseu.

Um pacto entre França e Alemanha que serviu para marcar a reconciliação após a Segunda Guerra Mundial.

O documento determina que os líderes dos dois países se reúnam, regularmente, de modo a encontrar um acordo. Todas as decisões relativas às políticas de segurança e defesa devem ser coordenadas.

Desde as lideranças de Valérie Giscard d'Estaing e Helmut Schmidt, que se faz referência ao eixo franco-alemão como o motor da construção da comunidade europeia.

Helmut Kohl e François Mitterrand, de mãos dadas em Verdum, marcaram uma nova etapa na história da reconciliação franco-germânica, em especial após a reunificação da Alemanha...

Em 2003, pelo 40º aniversário do Tratado do Eliseu, Jacques Chirac e Gerhard Schröder, revitalizaram as relações bilaterais entre os dois países.

Desde a criação do Gabinete da Juventude Franco-Germânica, dos Conselhos Franco-Alemães de Segurança e Política Económica e Monetária, a criação do conselho de ministérios franco-alemães de Merkel não impressionou.

A extensão do Tratado do Eliseu, assinada esta terça-feira na cidade alemã de Aachen, promete ser um passo construtivo numa das mais conturbadas épocas para a Europa.