Última hora

Última hora

Temas atuais marcam alinhamento da Berlinale 2019

Temas atuais marcam alinhamento da Berlinale 2019
Tamanho do texto Aa Aa

O festival de Berlim, um dos mais importantes festivais de cinema da Europa, já tem alinhamento para este ano. A seleção inclui novos filmes de Agnès Varda, Zhang Ymou ou François Ozon. Os temas da atualidade, como a ecologia, estão em destaque, como conta o diretor Dieter Kosslick, que dirige a Berlinale pelo último ano: "Agora tem tudo mais a ver com o nosso comportamento em relação ao mundo. Toda a gente sabe - o aquecimento global, os problemas com a agricultura e a nossa comida. Assim, temos filmes sobre esses temas, é bastante interessante. Diria que os nossos comportamentos privados são mais políticos que nunca e estamos a mostrar isso.

Juliette Binoche, atriz e realizadora francesa, é a presidente do júri deste ano, em que as mulheres estão em destaque. Sete em 17 filmes em competição pelo prémio principal foram realizados por mulheres, incluindo o filme de abertura, "The Kindness of Strangers", da dinamarquesa Lone Scherfig.

Entre os filmes em competição, de França chega "Grace à Dieu" (Graças a Deus), de François Ozon. O filme fala de um tema que fez manchetes nos jornais, nos últimos tempos: O caso do padre acusado de pedofilia que levou recentemente o arcebispo de Lyon a responder em tribunal.

Fatih Akin, último realizador alemão a ter recebido um urso de ouro em Berlim, está de regresso com "Der Goldene Handschuh" (A luva dourada), um filme de terror adaptado do livro de Heinz Strunk sobre um serial killer em Hamburgo nos anos 70.

A Berlinale vai decorrer de 7 a 17 de fevereiro. Quanto às presenças lusófonas, destaque para "Marighella" de Wagner Moura, do Brasil, apresentado fora de competição, "A Portuguesa" de Rita Azevedo Gomes e "Serpentário" de Carlos Conceição, ambos de Portugal e apresentados na secção Fórum.