"Breves de Bruxelas": Clima, Ucrânia, migração, Nemmouche

"Breves de Bruxelas": Clima, Ucrânia, migração, Nemmouche
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de cinco mil jovens marcharam, em Bruxelas, por melhor política sobre as alterações climáticas, pela quinta semana consecutiva.

O epicentro do protesto, esta quinta-feira, foi a cidade flamenga de Leuven (dez mil estudantes). A plataforma belga Juventude Para o Clima decidiu que haverá um "palco principal" diferente, a cada semana, mas a mensagem não difere.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Parlamento da Ucrânia aprovou, quinta-feira, uma emenda constitucional que prevê o compromisso com a integração na NATO e na União Europeia. A influência russa que travou a assinatura de um acordo de associação, em 2013, levou a uma revolução que conduziu a um regime abertamente pró-europeu, mas esteve, também, na origem da anexação da Crimeia pela Rússia e do conflito no leste da Ucrânia.
  • Até que a reforma do Regulamento de Dublin, sobre política de asilo, seja desbloqueada, a Comissão Europeia pede aos Estados-membros para adoptarem "disposições temporárias" sobre acolhimento de migrantes e refugiados. O comissário europeu para a Migração, Dimitris Avramopoulos, disse, quinta-feira, que as eleições europeias não devem ser pretexto para travar a construção de um consenso entre os 28 Estados-membos.
  • Dois jornalistas que foram feitos reféns pelo grupo extremista Daesh, na Síria, disseram em tribunal, quinta-feira, que Mehdi Nemmouche era um dos raptores. O testemunho foi dado no julgamento do principal suspeito do atentado terrorista do Museu Judaico da Bélgica, no qual morreram quatro pessoas, em 2014.