Última hora

Última hora

Asheville, o paraíso criativo da Carolina do Norte

Asheville, o paraíso criativo da Carolina do Norte
Tamanho do texto Aa Aa

A cantora e compositora francesa Laetitia Shériff está a viajar pelos Estados Unidos da América à descoberta da música, história e cultura. Nesta etapa de jornada, visitou a “Terra do Céu”, em Asheville, na Carolina do Norte.

O nome dado à cidade provém da sua localização, rodeada pelas montanhas Blue Ridge e Great Smoky. “A natureza está em toda parte aqui”, conta Laetitia. “Podemos ver as Montanhas Blue Ridge de praticamente todos os lugares da cidade. A luz tem algo de diferente aqui. As pessoas tinham-me falado sobre a química entre o sol e as árvores da floresta que dá aquela cor azul. Mas temos de ver para acreditar!".

Uma cidade com uma alma artística

O cenário natural da cidade é propício à prática de atividades ao ar livre, mas quem tiver mais interesse num programa cultural não se vai sentir desiludido com a vibrante cena artística de Asheville.

O primeiro a acreditar no potencial da cidade foi George Vanderbilt. Nativo de Staten Island, Nova Iorque, Vanderbilt iniciou, em 1888, a construção de uma casa de campo. A propriedade Biltmore estende-se ao longo de mais de três mil hectares e, para que fosse concluída, obrigou a que todo um exército de artistas e artesãos se instalassem na área, dando origem à comunidade artística que hoje lá mora.

"Raramente senti isso nos últimos anos", acrescentou Laetitia. "A mentalidade das pessoas nesta cidade deixou-me tão feliz e otimista. Aqui, a união entre as pessoas é essencial e a expressão através da arte, ainda mais".

Refúgio cervejeiro

Asheville afirma ter mais cervejariasper capita do que qualquer outra cidade americana e conseguiu o primeiro título de "Cidade da Cerveja" do Examiner.com, em 2009, ganhando a reputação de ser um centro de ótimas cervejas artesanais.

Os visitantes podem desfrutar de vários festivais anuais de cerveja, bem como de muitas visitas a diferentes cervejarias. Uma centena de cervejas diferentes produzidas localmente são oferecidas em toda a cidade. Outras especialidades locais incluem ainda doces com infusão de cerveja, guloseimas e cosméticos.

Na hora de escolher uma cerveja, é variada a oferta. Laetitia recomenda, depois de uma visita, ir a Wedge Breweries. Tudo o que lá se bebe é produzido no local e não se encontra à venda em nenhum outro lugar.

A não perder: um resumo dos nossos destinos favoritos em Asheville

Tanto para os fãs de música, como para os viciados em adrenalina, ou mesmo os adeptos de literatura, Asheville tem sugestões para todos os gostos:

1. A casa-museu Biltmore é a maior propriedade privada dos EUA. Construída por George Washington Vanderbilt para uma "pequena escapada na montanha", tem nos 16 622 metros quadrados um exemplo proeminente da arquitetura da "Era Dourada" americana. "É uma loucura", descreve Laetitia. "É um projeto inacreditável que Vanderbilt deixou à América, uma relíquia tão impressionante como o Palácio de Versalhes.

2. O Clube "The Orange Peel" é um espaço musical conhecido por dar o palco a bandas promissoras e a lendários artistas. Bob Dylan, Lauryn Hill, Hootie & the Blowfish, e os Beastie Boys passaram por lá, desde a inauguração, em 2002. Na noite em que Laetitia tocavam os Oh Sees. “Foi de uma enorme alegria e emoção. O melhor público de rock que já conheci", exclama.

3. Chimney Rock é a atração principal do Parque Estadual Chimney Rock e fica a cerca de uma hora a sul da cidade de Asheville. É de longe a atração mais antiga da nossa lista, existente há 535 milhões de anos. Os visitantes podem caminhar até à superfície granítica de 96 metros de altura para ter uma vista de 120 quilómetros. Os mais aventureiros podem ainda tentar a implacável escalada.

4. Thomas Wolfe (1900 - 1938) é um gigante da literatura americana e possivelmente o filho mais famoso de Asheville. Os visitantes da cidade podem seguir os passos do escritor, visitando a casa de infância, a pensão “Old Kentucky”, que pertenceu à mãe, e o teatro por trás dela. Os leitores vão sem dúvida reconhecer muitos dos marcos presentes nos textos autobiográficos de Wolfe.

5. Há muitos lugares para praticar tirolesa em todo o mundo, mas em Navitat a experiência é levada mais além. Os viciados em adrenalina podem voar entre as árvores a velocidades impressionantes, rodeados pela beleza das Montanhas Blue Ridge. "A tirolesa é um pouco como este 'Notes from the USA", - diz Laetitia - "Só tinha um pensamento em mente: fazer tudo de novo."

Banda sonora da cidade

  • "Sun's Gonna Shine" é uma das canções de "Bright Star", o musical sobre Asheville, de 2014, do comediante Steve Martinl, co-escrito com Edie Brickell.
  • O cantor de música country Dierks Bentley gravou o sexto álbum de estúdio em cinco dias, no estúdio Echo Mountain, com 30 mil fãs a ver através da internet. "Am I The Only One" (2011) foi um êxito imediato.

  • Rising Appalachia foi uma das bandas a colaborar com a Orquestra Sinfónica de Asheville no álbum "The Asheville Symphony Sessions" (2016). "Filthy Dirty South" é a primeira faixa do álbum.

  • "I Put a Spell on You" (1965), de Nina Simone, que cresceu perto de Tyron.

  • Em "Long Stretch of Love" (2014), de Lady Antebellum, aparece um instrumento apalache chamado Woodrow, que é feito apenas em Asheville.