A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Timmermans acredita que Brexit "não defende interesses dos britânicos"

Timmermans acredita que Brexit "não defende interesses dos britânicos"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na corrida para o grande palco europeu, Frans Timmermans passou antes pelo palco do programa da Euronews, "Raw Questions". O ainda vice-presidente da Comissão Europeia não fugiu a nenhuma pergunta. A primeira foi em relação ao Brexit.

Frans Timmermans defende que "é um debate entre partidos políticos, não tem na da a ver com os interesses do povo britânico. Houve uma resposta não esperada e agora vemos as consequências: um país profundamente dividido, completamente paralizado por este Brexit".

Próxima questão: migrações. O holandês acredita que se aprendeu muito com a crise de 2015.

Timmermans reconhece que "claramente não tivemos controlo desta crise. Desde essa altura demos alguns passos para controlar essa crise. Ainda não o conseguimos, mas vamos conseguir. A única questão agora é que os chamados políticos predadores estão a usar esse facto para dizer os migrantes não pertencem aqui, que são uma ameaça para nós. E temos de lutar contra isso. E, se quisermos continuar a defender os nossos valores, temos de continuar a ser um porto seguro para os verdadeiros refugiados".

E o tema das migrações está também ligado ao crescimento dos populismos. O político holandês tem mais explicações: "acredito que uma das razões pelas quais a extrema direita está a crescer em muitas zonas da Europa é pelo facto das pessoas estarem cansadas com a forma como o setor financeiro se está a comportar. As pessoas estão cansadas de verem o dinheiro dos seus impostos ser gasto para resgatar os bancos que continuam a não tratar bem o comum dos clientes e não conseguem sair da crise. Por isso é muito importante que se termine a União Bancária de forma a que, quando um banco tem problemas, não seja necessário pedir dinheiro ao comum dos cidadãos".

Frans Timmermans é o único candidato a presidente da Comissão Europeia pelo Partido Socialista europeu, nas eleições europeias de maio de 2019.