A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

1 de Maio: Da violência em Paris à repressão na Turquia

1 de Maio: Da violência em Paris à repressão na Turquia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Desde 1886 que o primeiro de maio é uma data comemorativa dedicada aos trabalhadores. Em diferentes pontos do planeta, o dia é celebrado de uma forma diferente e aqui na euronews aproveitamos a ocasião para dar uma pequena volta ao mundo.

O Dia do Trabalhador em Paris foi uma carga de trabalhos para a polícia francesa. O que devia ter sido uma manifestação contra as políticas de Emmanuel Macron descambou em confrontos com as forças de autoridade. Ao fim da tarde a polícia já tinha procedido a mais de trezentas detenções, existindo ainda vários feridos ligeiros a lamentar. De acordo com o Ministério do Interior, estiveram nas ruas de Paris 28 mil pessoas, num total de 164 mil manifestantes a nível nacional. Já os sindicatos falam numa afluência superior a 300 mil pessoas no território francês.

Em Madrid ainda reina a expectativa depois das eleições do fim de semana passado não terem deixado claro quem irá formar o próximo governo. Ainda assim os manifestantes pediram a revogação da reforma laboral e o aumento das pensões.

Na Alemanha houve manifestações para todos os gostos. Em Erfurt tivemos a habitual marcha dos sindicatos e um contingente policial mais reforçado que o costume... o motivo é simples. Os apoiantes do AfD, partido populista de direita, também decidiram sair para a rua.

Em Moscovo, o dia já não tem a importância de outros tempos, ainda assim juntou cem mil pessoas nas ruas da capital russa. Um dia de festa que contrastou com o ambiente de São Petersburgo, onde foram detidas mais de sessenta pessoas por gritarem slogans anti-Putin.

Em Istambul a repressão também foi a palavra de ordem. De acordo com a polícia turca foram detidas 127 pessoas por tentarem realizar manifestações ilegais para celebrar o dia do trabalhador.