Última hora

Última hora

"Intimate Audrey": Exposição mostra momentos privados da atriz

"Intimate Audrey": Exposição mostra momentos privados da atriz
Tamanho do texto Aa Aa

O mundo conhece-a como uma atriz famosa, uma das poucas que ganhou o Óscar, Emmy, Grammy e Tony Award, mas uma exposição em Bruxelas revela um pouco da vida privada de Audrey Hepburn. Fizemos uma visita guiada com o filho da atriz belga, Sean Hepburn Ferrer.

"Estamos na galeria Vanderborght, no coração de Bruxelas, na Bélgica, perto das galerias do rei, numa exposição para comemorar os 90 anos do nascimento da minha mãe. Ela nasceu em Bruxelas, em 1929, no dia 4 de maio, numa pequena parte de Bruxelas chamada Ixelles, e por isso pareceu-me a coisa certa fazer isto."

Além de centenas de fotos, "Intimate Audrey" apresenta alguma memorabília de filmes como a scooter usada no clássico "Férias em Roma", pelo qual Hepburn ganhou o Óscar de melhor atriz.

Hepburn foi embaixadora da boa vontade da UNICEF. Quando era criança, sofria com as consequências do nazismo. Perguntamos ao seu filho o que faria hoje com a ascensão do nacionalismo na Europa.

"Ela acreditou que depois da Segunda Guerra Mundial não haveria mais campos de concentração, mas 30 anos depois encontrou um campo na Somália, no Sudão com 30 mil pessoas à espera da morte. Hoje ela revoltar-se-ia de raiva".

Para o filho Sean, esta exposição é mais que um evento cultural, é uma parte da sua vida.

"A minha mãe morreu a 20 de janeiro de 1993 às oito da noite e eu tive uma amizade maravilhosa com ela. Era uma mãe maravilhosa, demo-nos muito bem, estivemos juntos nos bons e nos maus momentos e depois perdi-a. E eu tenho que fazer as pazes com isso, ao mesmo tempo que ela continua na minha vida todos os dias. Então sou o maestro da orquestra que é esta exposição e de uma determinada parte da sua vida. Ela está comigo todos os dias, ao ponto de, por vezes, ouvir esta música e quase ficar um bocadinho louco."

Uma exposição patente até 25 de agosto.