Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Degelo nos Himalaias duplicou desde o ano 2000

Degelo nos Himalaias duplicou desde o ano 2000
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As fotos foram tiradas nos anos 70 e 80 por satélites espiões, mas só agora são conhecidas. São a base para um estudo que conclui que o derretimento dos glaciares desta cadeia montanhosa duplicou desde o início deste século.

Bhopal Pandeya é especialista no ambiente dos Himalaia. Trabalha no Imperial College de Londres. Para ele, a população local corre perigo: "Há dez grandes rios originários dos glaciares dos Himalaias que dão sustento a milhões ou mesmo centenas de milhões de pessoas a montante e a jusante. Devido à mudança de disponibilidade de água, as comunidades locais não conseguem manter as práticas agrícolas tradicionais", diz.

Mesmo os objetivos atuais no combate ao aquecimento global podem não ser suficientes: "Mesmo se tentarmos limitar o aquecimento global a um grau e meio até o final deste século, um terço dos glaciares dos Himalaias terá desaparecido. Mas se a temperatura subir até dois graus, vários relatórios e estudos mostram claramente que quase metade dos glaciares terá derretido. Uma vez que esses lagos glaciais não conseguem reter a água, os lagos transbordam e isso terá consequências graves, como inundações nas áreas a jusante", explica o cientista.

O derretimento dos glaciares também está a deixar a descoberto corpos de dezenas de alpinistas que estavam enterrados sob o gelo, em alguns casos há décadas. Desde que há registos, cerca de 300 pessoas morreram ao tentar escalar a montanha mais alta do mundo.