A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Ciclista grego tenta volta ao Mundo em bicicleta

Ciclista grego tenta volta ao Mundo em bicicleta
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma voltinha ao mundo? Claro que sim, mas só se for de bicicleta! Foi o que o que fez o ciclista grego Angelos Georgopoulos com 29 anos de idade. Saiu da Grécia há quatro anos em 2015 viajou pela Europa passou pela América e em 2017 chegou ao continente Africano.

A viagem pelo continente Africano começou no Sudão seguiu-se a Etiópia, Quénia, Tanzânia, Malawi, Moçambique, África do Sul, Botswana, Zâmbia e agora em Julho chegou à Angola.

Com esta viagem Angelos pretendia pretendia conhecer o que se passa ao redor do mundo, perceber as diferenças social e as pessoas no geral.

Dos 29 países por onde passou, dois influenciaram a maneira como percorreu o resto da viagem, mudaram a sua noção do tempo e da vida real fora da "bolha ocidental".

A Colômbia que o fez mudar o tempo limite da viagem de um ano para tempo indeterminado, e da República Centro Africana onde viu muita pobreza e viveu situações muito difíceis.

O ciclista confidenciou-nos que passar pela República Centro Africana o fez pensar muito sobre a pobreza e sobretudo sobre a realidade que vive fora do mundo ocidental.

Angelos disse e passo a citá-lo "Eu cresci na Grécia, e pensava que a maneira como eu vivi a minha vida, era a mesma em todo mundo...e é muito diferente saber que há pessoas que vivem de outra forma, e é muito diferente passar por esta realidade, e sentir o que é que significa para alguém não ter nenhuma educação, ou o que significa a vida não valer nada em alguns países..."

Angelos deixa Angola no início de Agosto a caminho da República Democrática do Congo, segue-se Gabão e nos próximos anos vai explorar o continente Asiático.