A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Diálogo entre Bruxelas e Londres em ponto morto

Diálogo entre Bruxelas e Londres em ponto morto
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro da Estónia esteve em Londres, esta terça-feira. Foi o primeiro líder da União Europeia a ser recebido na capital britânica desde a eleição de Boris Johnson.

O encontro decorreu num contexto de fortes interrogações sobre as relações entre o Reino Unido e a União Europeia. O diálogo entre Bruxelas e Londres encontra-se em ponto morto. As duas partes não se entendem sobre o futuro dispositivo para evitar a fronteira física entre as duas Irlandas, após o Brexit.

A Comissão Europeia não cede às exigências do Reino Unido, mas, não fecha a porta a negociações, dando a entender que cabe ao Reino Unido dar o primeiro passo. "A Comissão continua disponível nas próximas semanas, caso o Reino Unido queira organizar conversações e clarificar a sua posição de forma mais detalhada, ao telefone ou em pessoa", afirmou Annika Breidthardt, porta-voz da Comissão Europeia.

O Brexit não é uma tempestade a que possamos sobreviver ou para a qual estejamos preparados. É uma mudança permanente das relações entre a União Europeia, incluindo a Irlanda, e o Reino Unido.
Leo Varadkar
primeiro-ministro da República da Irlanda

Esta terça-feira em conferência de imprensa, o primeiro-ministro da República da Irlanda mostrou-se cético face à possibilidade de um entendimento entre as duas partes no curto prazo.

"O Brexit não é uma tempestade a que possamos sobreviver ou para a qual estejamos preparados. É uma mudança permanente das relações entre a União Europeia, incluindo a Irlanda, e o Reino Unido", sublinhou Leo Varadkar.

Para evitar o restabelecimento da fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte, Bruxelas propõe que o Reino Unido permaneça membro da união aduaneira. Uma proposta rejeitada por Londres que classifica a posição de Bruxelas como inflexível.