A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

RD Congo: ONU pede ajuda europeia para combater Ébola

RD Congo: ONU pede ajuda europeia para combater Ébola
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, tentou chamar a atenção do mundo para o mais mortal surto de ébola na República Democrática do Congo (RD Congo), durante sua visita, no domingo passado, à província de Kivu do Norte, uma região assolada por conflitos.

São necessários cerca de 400 milhões de euros, nos próximos seis meses, para operações de saúde e de assistência social.

A atual epidemia desta doença altamente infecciosa começou há um ano e já matou mais de 2000 pessoas, dois terços do total de casos registrados (3045, a 2 de setembro).

A ajuda também é necessária para os testes de vacinação em curso e para a formação de pessoal médico, disse um representante da Organização Mundial de Saúde (OMS) convidado pela Comissão de Desenvolvimento do Parlamento Europeu.

"Começamos com 50 vacinadores internacionais e agora temos 450 congoleses que receberam formação. Temos mais de 200 médicos e enfermeiros formados no tratamento do ébola. No cerne desta situação está a fragilidade do sistema de saúde, que tem de ser fortalecido"disse Michael Ryan, diretor-executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS.

"Embora possamos travar este o surto, o vírus vai regressar, além de que a RD Congo enfrenta outros desafios ao nível do sarampo, varicela e outras doenças. Portanto, tratar o ebola e ir embora é inaceitável", acrescentou.

Prevenção e educação

Os especialistas dizem que é vital cooperar mais com as estruturas locais de assistência médica e aumentar as campanhas educacionais, áreas nas quais a União Europeia está disposta a investir.

"Estamos a dialogar para ver como podemos conseguir maior financiamento, nomeadamente envolvendo outras pessoas, incluindo o setor privado e outras fontes de financiamento. Acima de tudo, precisamos também de ganhar a confiança da população, para que se dirija aos centros de saúde e confie nos funcionários qualificados", afirmou Pierrette Herzberger-Fofana, eurodeputada alemã dos verdes que é vice-presidente desta comissão parlamentar.

A ONU também leva acabo operações de prevenção em nove países vizinhos da RD Congo, em particular no Uganda, Ruanda e Burundi.