EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Líder da esquerda radical francesa visita Lula

Líder da esquerda radical francesa visita Lula
Direitos de autor Heuler Andrey / AFP
Direitos de autor Heuler Andrey / AFP
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Jean-Luc Mélenchon é o primeiro político francês a visitar o ex-presidente brasileiro na prisão

PUBLICIDADE

É a primeira vez que um político francês visita na prisão Lula da Silva.

Jean-Luc Mélenchon, fundador do partido da esquerda radical A França Insubmissa e antigo candidato presidencial, deslocou-se a Curitiba, onde o ex-presidente brasileiro se encontra a cumprir uma pena de oito anos e dez meses por corrupção.

Mélenchon acredita que o processo contra Lula da Silva teve como objetivo afastar aquele que era o favorito às presidenciais de 2018:

"Ninguém acredita que Lula seja corrupto. Toda a gente sabe que ele está na prisão por outra razão, uma razão evidentemente política, que permitiu ao senhor Bolsonaro ser eleito, depois de terem eliminado Lula da eleição presidencial."

Mélenchon foi acompanhado pelo ex-rival de Bolsonaro e delfim de Lula, Fernando Haddad. O deputado francês fez um paralelo entre o caso que levou o ex-presidente brasileiro à prisão e os seus próprios problemas com a Justiça. Melénchon será julgado a 19 e 20 de setembro junto com cinco colaboradores, na sequência de uma rusga aparatosa na sede do seu partido no ano passado.

"Vemos claramente que não há limites ao uso da Justiça nos processos políticos. Mesmo se não existe sequer a aparência de um esquema... Até Estaline fazia melhor, porque tentava ter confissões. Aqui nem isso há."

O encontro entre Mélenchon e Lula faz parte da digressão latino-americana do líder da França Insubmissa. Antes do Brasil, o deputado francês esteve no México, no Uruguai e na Argentina, onde se reuniu com vários responsáveis políticos de esquerda.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Esquerda europeia apresenta-se dividida às eleições de junho

Hajj: peregrinação à cidade santa de Meca pelos muçulmanos

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas