Última hora

Pilotos da British Airways em greve

Pilotos da British Airways em greve
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez na história, os pilotos da British Airways estão em greve, o que obrigou ao cancelamento de 1700 voos e deixou 280.000 passageiros em terra.

À euronews, o jornalista Simon Calder explicou as razões por detrás desta paralisação: "É uma contenda sobre os salários. Os pilotos dizem que a empresa lhes devia dar uma fatia maior dos quase dois mil milhões de euros de lucros que tem todos os anos. A BA responde que já lhes deu um aumento acima da inflação e eles já estão entre os pilotos com melhores salários na Europa".

A British Airways ofereceu aos pilotos um aumento de 11,5% ao longo de três anos. Os pilotos ganham, em média, 100 mil euros por ano, mas o sindicato quer que o acordo salarial inclua uma redistribuição dos lucros.

"Não sei que nível de apoio do público temos, há informações contraditórias, mas o mais importante é que a posição dos pilotos é sólida. 93% votaram a favor da greve e são esses que eu represento e é por esses que eu tento chegar a um acordo", explica Brian Strutton, secretário-geral do sindicato BALPA.

A situação para a British Airways piorou quando alguns clientes cujos voos não tinham sido afetados pela greve receberam, por engano, e-mails a pedir que mudassem o voo.

A companhia desculpou-se perante os passageiros com um tweet em que explica que tentou, ao longo de vários meses, resolver o conflito com os pilotos, mas não conseguiu evitar a greve. Diz que continua aberta ao diálogo com o sindicato.

Uma mensagem repetida também pelo sindicato. No entanto, apesar da aparente vontade mútua de negociar um acordo, não há ainda data marcada para um encontro. Os pilotos têm outra greve marcada para o dia 27 de setembro.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.