Última hora

O maior ferry elétrico do mundo em teste na Dinamarca

O maior ferry elétrico do mundo em teste na Dinamarca
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O maior ferry elétrico do mundo movido exclusivamente a eletricidade está a ser testado na Dinamarca no âmbito do projeto europeu E-Ferry.

O ferry Ellen começou recentemente a fazer a travessia entre duas ilhas dinamarquesas. A nova embarcação está em fase de teste. O objetivo é realizar de forma autónoma cinco idas e voltas diárias. O projeto da ilha dinamarquesa de Ærø ambiciona acelerar a transição para a neutralidade carbónica é cofinanciado pela União Europeia.

"O ferry é totalmente elétrico. Não há petróleo a bordo para operar o que quer que seja. Percorremos uma distância de 22 milhas náuticas, uma distância sete vezes superior à percorrida pelos barcos atualmente. Quanto maior forem as distâncias percorridas, mais útil se torna a tecnologia. Na Europa, cerca de 80% do transporte em ferry situa-se na faixa das 22 milhas náuticas", explicou Trine Heinemann, coordenadora do projeto europeu E-Ferry.

Trine Heinemann, coordenadora do projeto E-Ferry

Eletricidade produzida por turbinas eólicas

As turbinas eólicas da ilha de Ærø produzem 130% da eletricidade necessária para o consumo da população. O excedente é utilizado para alimentar o ferry Ellen. Quando o ferry começar a realizar as cinco travessias entre as duas ilhas diariamente, será possível evitar a emissão de duas mil toneladas de dióxido de carbono por ano. As baterias de ião lítio de 56 toneladas têm uma capacidade de 4,3 MWh. "Reservamos sempre uma certa quantidade de energia em cada sala de baterias. Se ficarmos sem uma sala de baterias ou tivermos de desligá-la por algum motivo, teremos energia suficiente na outra sala para regressar ao porto ou realizar todos os procedimentos de emergência necessários em caso de emergência no mar", sublinhou a coordenadora do projeto.

Zero ruído, zero cheiro

Para os passageiros, uma viagem sem o cheiro do combustível fóssil e sem ruído, é mais agradável. O capitão do navio está satisfeito com a nova máquina. "Os motores elétricos são mais potentes. Atingimos uma alta potência num instante. É como conduzir uma lancha de alta velocidade", afirmou o capitão do navio, Thomas Larsen.

Baterias desenvolvidas na Suíça

A empresa suíça Leclanché desenvolveu várias tecnologias inovadoras para responder às exigências da construção do ferry elétrico, ao nível da segurança e da eficácia. Segundo o presidente da empresa, Anil Srivastava, as baterias de ião lítio deverão desempenhar um papel fundamental no transporte marítimo. "Quase 12% das emissões de C02 provêm do tráfego marítimo na área económica europeia. No caso dos automóveis são 13%. A redução do C02 nos transportes marítimos ajudará a reduzir mais rapidamente as emissões de CO2 na Europa", considerou o presidente da empresa suíça.

A empresa já recebeu 25 encomendas de embarcações elétricas. "A Europa lidera a eletrificação das embarcações, a nível mundial. O projeto E-ferry vai fornecer-nos dados operacionais e de segurança fundamentais, ajudará a criar normas, não apenas para a Europa mas a nível mundial", conclui Anil Srivastava.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.