Última hora

"Acordo verde" vai testar unidade na UE

"Acordo verde" vai testar unidade na UE
Direitos de autor
ASSOCIATED PRESS - Dave Kolpack
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia vai apresentar o "Acordo Verde Europeu", quarta-feira, revelando os detalhes de um plano de combate às alterações climáticas, que visa incentivar um modelo de produção e de consumo mais sustentável.

A meta é atingir a neutralidade de emissões de gases com efeito de estufa em 2050, em toda a União Europeia, pelo que é preciso ultrapassar algumas divisões entre os Estados-membros.

"Eu e os meus colegas estamos mobilizados para elaborar uma mensagem forte, unificadora e clara que enfatize a ambição comunitária de garantir que Europa vai ser o primeiro continente a atingir a neutralidade climática em 2050", disse Charles Michel, presidente do Conselho Europeu.

Para financiar esta ambição, está previsto criar um fundo de transição com 100 mil milhões de euros, em grande medida para substituir combustíveis fósseis por outros oriundos de fontes renováveis.

"Estamos a tentar ser o mais abrangentes possível na definição do caminho a seguir, fazendo-o de forma aberta. Fazemos um convite a todos os parceiros para que se juntem a nós no esforço para encontrar as melhores soluções para o bem dos cidadãos", afirmou Frans Timmermans, vice-presidente-executivo da Comissão Europeia.

A organização ambientalista Greenpeace considera que as palavras poderão não ser traduzidas em atos, tendo em conta os detalhes que foram divulgados desde as eleições europeias.

"Neste momento, a Comissão Europeia tem um programa incompleto, na melhor das hipóteses. Não persegue os objetivos aconselhados pelos cientistas. Precisamos de reduzir as emissões de forma muito drástica e rápida. A Comissão Europeia fala de reduzir à volta de 50% até 2030, que é insuficiente", explicou Franziska Achterberg.

O pano vai ser apresentado aos eurodeputados, numa sessão plenária extraordinária do Parlamento Europeu, e será debatido pelos chefes de Estado e de governo na cimeira da União Europeia, quinta e sexta-feira, em Bruxelas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.