Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de quarta-feira, 20 de maio

Covid-19 Testing site
Covid-19 Testing site   -   Direitos de autor  DENIS CHARLET/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Resumo do dia:

  • Portugal reportou esta quarta-feira mais 16 mortes e 228 novos casos de infeção
  • Espanha prolonga estado de emergência no país até 6 de junho
  • Governo do Brasil avança com protocolo para o uso de cloroquina em casos ligeiros de covid-19
  • Comissão Europeia exclui avançar com procedimentos aos estados-membros por défices excessivos devido à pandemia
  • Itália vai reabrir as fronteiras e os aeroportos no dia 1 de junho

21h00 (CET) Pandemia de covid-19 ultrapassa os 325 mil mortos

A pandemia de covid-19 já matou mais de 325000 pessoas em todo o mundo, mais de três quartos das quais na Europa e nos Estados Unidos, desde que surgiu na China, em Dezembro, segundo um relatório da AFP a partir de fontes oficiais.

Registou-se até às 19h00 (CET) um total de 325.003 mortes em todo o mundo (para 4.939.642 casos), incluindo 169.671 na Europa (1.944.207 casos), o continente mais afetado. Os Estados Unidos foram o país com mais mortes (92.387), seguido pelo Reino Unido (35.704), Itália (32.330), França (28.132) e Espanha (27.888).

20h30 (CET) Espanha renova estado de emergência até 6 de junho

O parlamento de Espanha aprovou hoje a renovação do estado de emergência no país por mais duas semanas devido à pandemia de covid-19, mantendo algumas restrições até 6 de junho.

Desta feita, a proposta do governo liderado por Pedro Sánchez já contou com o voto contra do maior partido da oposição, o PP.

O estado de emergência está em vigor em Espanha desde 15 de março.

20h00 (CET) França anuncia a morte de mais 110 pessoas por covid-19

As autoridades sanitárias francesas anunciaram hoje mais 110 óbitos por covid-19 nas últimas 24 horas, aumentando assim o número de vítimas para 28132 desde o começo da pandemia.

Em relação à véspera foram também confirmados 418 novos casos de contágio no país, elevando assim o número total de casos para 143845.

França é o quarto país com mais mortes pelo novo coronavírus, atrás apenas de EUA, Reino Unido e Itália.

19h45 (CET) Grécia vai retomar voos internacionais a partir de 1 de julho

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, anunciou hoje que os voos internacionais serão retomados a partir de 01 de julho, duas semanas depois do arranque da estação turística.

“Venceremos a batalha da economia como vencemos a batalha da saúde”, afirmou Mitsotakis, numa intervenção pela televisão dirigida ao país, menos atingido que os seus vizinhos pelo novo coronavírus, com 166 mortos.

“A estação turística começará a 15 de junho, quando os hotéis puderem reabrir, e os voos diretos com o estrangeiro retomam progressivamente a partir de 01 de julho”, acrescentou.

19h15 (CET) Itália com mais 161 mortes e 665 novas infeções

Itália registou mais 161 mortes associadas à covid-19 e totaliza já 32.330 vítimas mortais desde o início da pandemia, anunciou hoje a Proteção Civil italiana.

Quanto ao número de casos, foram confirmadas 665 novas infeções, elevando dessa forma o total para 227.364.

18h40 (CET) Reino Unido regista 363 mortes nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou 363 mortes relacionadas com a covid-19 nas últimas 24 horas e elevou o seu total de vítimas para 35.704 desde o começo da pandemia, anunciou o ministro da Cultura, Oliver Dowden, na apresentação do boletim diário das autoridades sanitárias britânicas.

Apesar de o número de mortes anunciados diariamente variar muitas vezes devido ao processo administrativo de registo, a tendência tem sido de descida, incluindo nos lares de idosos, onde o Governo reconheceu ter encontrado surtos nas últimas semanas.

18h20 (CET) Itália reabre fronteiras e aeroportos no dia 3 de junho

Itália anunciou esta quarta-feira a reabertura de fronteiras e aeroportos a partir de 3 de junho, depois de quase três meses de encerramento devido à pandemia de covid-19.

“Vai ser possível realizar a reabertura de todos os aeroportos a partir de 03 de junho, quando se vai permitir de novo viagens entre regiões e viagens internacionais e vai acabar toda a limitação ao transporte público”, afirmou a ministra dos Transportes, Paola de Micheli.

18h00 (CET) Vice-presidente do Brasil retoma funções após teste negativo

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, retomou hoje funções, na sequência de quatro dias de isolamento na sua residência, depois de ter tido um teste negativo ao novo coronavírus.

Mourão, general da reserva do Exército brasileiro, estava isolado desde sábado com sua mulher, Paula Mourão, no Palácio Jaburú, residência oficial da vice-presidência do país, depois de saber que esteve em contacto com um funcionário diagnosticado com o novo coronavírus.

17h30 (CET) Marta Temido exclui realização de teste nos aeroportos

A ministra da Saúde, Marta Temido, descartou hoje a realização de testes à covid-19 nos aeroportos, ao considerar o teste como "uma fotografia” que poderá não "espelhar" uma infeção contraída há pouco tempo.

“Sobretudo nunca fazer um teste serológico num aeroporto. Acho que não é aí a melhor aplicação que podemos ter para esta metodologia de testes”, afirmou Marta Temido, em declarações proferidas na Comissão Parlamentar da Saúde.

17h00 (CET) Espanha soma mais 95 mortes pelo novo coronavírus

Espanha registou mais 95 mortes devido à pandemia de covid-19 nas últimas 24 horas, acima dos 83 óbitos declarados na véspera, mas, ainda assim, abaixo da centena pelo quarto dia consecutivo.

Já o número de novos casos diagnosticados foi de 416, elevando para 232555 o total de infetados confirmados até hoje.

16h00 (CET) Trump atribui pandemia à "incompetência da China"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, responsabilizou hoje através da rede social Twitter a "incompetência da China" na gestão da pandemia de covid-19 pelas “mortes em massa no mundo”.

Há uma semana, Trump ameaçou cortar todas as relações com a China e disse que, de momento, não voltaria a falar com o Presidente chinês, Xi Jinping, por causa da forma como o país asiático tem lidado com a pandemia que teve origem na cidade de Wuhan.

15h30 (CET) Governo do Brasil avança com uso de cloroquina para casos ligeiros

A administração de cloroquina passou hoje a integrar um protocolo de tratamento de casos ligeiros de covid-19 no sistema público de saúde do Brasil.

Até agora, o protocolo do Ministério da Saúde brasileiro apenas previa o uso de cloroquina - um medicamento indicado para doenças como artrite, lúpus e malária e cujos efeitos em pacientes vítimas da covid-19 estão ainda a ser estudados - em casos graves de infeção pelo novo coronavírus.

14h45 (CET) Irão garante estar próximo do "controlo" da pandemia

O Presidente iraniano, Hassan Rohani, afirmou hoje que o país está próximo do “controlo” da pandemia da covid-19, num dia em que foram anunciados mais de 2.000 novos casos de contágio nas últimas 24 horas.

O Irão é o país mais atingido do Médio Oriente com 126.949 casos de contaminação e 7.183 mortos, segundo os números oficiais.

14h00 (CET) Mais 16 mortes e 228 casos em Portugal

Portugal regista hoje 1.263 mortes relacionadas com a covid-19, mais 16 do que na terça-feira, e 29.660 infetados, mais 228, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde.

13h20 (CET) Comissão Europeia descarta procedimentos por défice excessivo

A Comissão Europeia afastou hoje a possibilidade de instaurar procedimentos por défice excessivo aos Estados-membros, face ao impacto da pandemia da covid-19 na economia europeia.

“O coronavírus atingiu-nos como um asteroide, abrindo uma profunda cratera na economia europeia. O pacote da primavera do 'semestre europeu' foi reformulado e simplificado, a fim de fornecer orientações aos Estados-Membros sobre como atravessar esta verdadeira tempestade”, comentou o vice-presidente executivo da Comissão com a pasta de “Uma Economia ao Serviço das Pessoas”, Valdis Dombrovskis.

12h45 (CET) Ministra da Saúde assume infeção em mais de 3200 profissionais de saúde

Mais de 3200 profissionais de saúde foram infetados com covid-19, anunciou hoje a ministra portuguesa da Saúde, Marta Temido.

Segundo a ministra, os dados do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE) indicam que foram infetados 3259 profissionais de saúde, 480 dos quais médicos e 1069 enfermeiros.

12h00 (CET) Bélgica anuncia mais 42 óbitos e atinge as 9150 vítimas

As autoridades sanitárias belgas anunciaram mais 42 mortes e 192 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas.

O país já soma 55983 casos de infeção pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, responsáveis pela morte de 9150 pessoas.

11h30 (CET) Rússia entre o recorde diário de vítimas e um aumento mais baixo de casos

A Rússia registou 135 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um recorde, mas assinalou também o aumento mais moderado desde o início de maio, com 8764 novos casos.

O país, que já soma 308.705 casos detetados desde o início da pandemia, contabiliza até ao momento 2972 vítimas mortais.

Paralelamente, houve uma queda no número de doentes (-633), com 220.341 pacientes em comparação com 220.974 no dia anterior.

11h00 (CET) África atinge os 2912 mortos e supera os 91 mil casos

O número de mortos provocados pela covid-19 em África subiu hoje para os 2.912, com mais de 91 mil infetados em 54 países.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortos subiu de 2.834 para 2.912, enquanto os infetados com o vírus SARS-CoV-2 passaram de 88.172 para 91.598.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos estimem que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro.

O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida.

O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos. Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença. De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil.

A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março. Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica.