Última hora
This content is not available in your region

"Céu Único Europeu" vai tentar diminuir poluição

euronews_icons_loading
"Céu Único Europeu" vai tentar diminuir poluição
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Uma melhor gestão do tráfego aéreo na União Europeia poderia permitir uma redução de 10% nas emissões de gases com efeito de estufa.

Com este objetivo em mente, a Comissão Europeia apresentou, terça-feira, uma revisão do programa denominado "Céu Único Europeu", para dar resposta aos desafios de um dos setores que mais contribui para o aquecimento global.

"Atrasos nos voos derivados da sobrelotação dos espaço aéreo na União Europeia custaram cerca de seis mil milhões de euros, em 2019, e levaram à emissão de 11,6 milhões de toneladas de CO2 em excesso, o que teve um impacto negativo na indústria, no ambiente e nos passageiros", disse Adina Vălean, comissária europeia dos Transportes, em conferência de imprensa, terça-feira, em Bruxelas.

A proposta visa diminuir os atrasos na descolagem e aterragem, compassos de espera no ar até haver pista de aterragem disponível e recurso a trajetórias mais longas quando os corredores aéreos estão sobrelotados.

Este gasto suplementar de combustível, e consequente poluição deve ser evitado, mas os ambientalistas pedem uma resposta mais radical.

"Sejamos claros, não existem aeroportos ou aviões ecológicos. A aviação é uma das indústrias mais poluentes da Europa e é preciso diminuir o número de viagens aéreas para reduzir as emissões nesse setor. É a única solução para combater as alterações climáticas", afirmou Lorelei Limousin, ambientalista da organização não-governamental Greenpeace Europa, em entrevista à euronews.

A pandemia de Covid-19 levou a uma acentuada diminuição conjuntural deste tráfego, mas a Comissão Europeia quer criar um quadro ambientalmente mais sustentável a longo prazo, no âmbito do Pacto Ecológico para reformular a economia do bloco.