Última hora
This content is not available in your region

Juliette Binoche distinguida pelo Festival de Cinema de Zurique

euronews_icons_loading
Juliette Binoche distinguida pelo Festival de Cinema de Zurique
Direitos de autor  Britta Pedersen/(c) Copyright 2019, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Tamanho do texto Aa Aa

Nas mãos de Juliette Binoche foi entregue o prémio de uma vida. Uma carreira marcada por obras cinematográficas valeu-lhe a distinção do Festival de Cinema de Zurique com o prémio Ícone de Ouro.

Pela primeira vez na história do festival, o galardão foi atribuído a uma atriz francesa. E Binoche recebeu-o com sentido de humor.

"Sinto que estou quase morta! Não, estou só a brincar (risos) O meu coração está preenchido de amor, por tê-lo recebido, porque encaro [o prémio] como um gesto de amor (risos de novo)", brincou a atriz

Apesar da crise que atingiu o setor, Juliette Binoche encarou o confinamento como um período de férias.

"Trabalhei muito antes e queria fazer uma pausa, por isso, de certa forma, foi um momento perfeito para mim, porque tive oportunidade de fazer outras coisas, como cozinhar para os meus filhos, cuidar da minha mãe e ler; passei muito tempo a ler, porque quando estou a trabalhar como atriz nem sempre tenho esse tempo, por isso, para mim, foi como um luxo", afirmou.

Aos 56 anos, Juliette Binoche já participou em 75 filmes, tendo ganho um prémio César para melhor atriz, em 1993, pelo papel desempenhado em "Três Cores: Azul"; em 1996 foi a vez de receber um Óscar como protagonista em "O Paciente Inglês", prémio para o qual voltou a ser nomeada, em 2000, pela performance em "Chocolate".