Última hora
This content is not available in your region

"The Lancet" diz que vacina russa tem 91,6% de eficácia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
"The Lancet" diz que vacina russa tem 91,6% de eficácia
Direitos de autor  Pavel Golovkin/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A prestigiada revista médica "The Lancet" veio acreditar a vacina russa, Sputnik V, contra a qual foram lançadas todo o tipo de suspeitas.

"A análise intercalar do ensaio da fase 3 do Gam-Covid-Vac, validada por peritos independentes, mostrou 91,6% de eficácia contra a Covid 19 e foi bem tolerada numa grande escala", segundo esta publicação.

A revista publica: "O desenvolvimento da vacina Sputnik V tem sido criticado pela pressa, pela queima de etapas nos testes e pela ausência de transparência, Mas o resultado aqui relatado é claro e o princípio científico da vacinação é demonstrado, o que significa que outra vacina pode agora juntar-se à luta para reduzir a incidência do vírus".

Os resultados preliminares, publicados pela "The Lancet", baseiam-se na análise de dados de quase 20.000 participantes, três quartos dos quais receberam a vacina e, um quarto, um placebo.

O ensaio incluiu 2.144 participantes com mais de 60 anos de idade e a eficácia da vacina foi de 91,8% neste grupo: a vacina foi bem tolerada e os dados de segurança de 1.369 destes adultos mais velhos revelaram que os efeitos adversos mais comuns eram sintomas semelhantes aos da gripe e reação local.

Estes eram consistentes com a maioria dos efeitos adversos notificados nos outros grupos, que eram também geralmente ligeiros; os efeitos adversos graves (aqueles que exigiam admissão hospitalar) eram raros tanto no grupo placebo (0,4%) como no grupo vacina (0,2%).

Nenhuma, dizem os autores, foi considerada como associada à vacinação; quatro mortes foram relatadas no ensaio, nenhuma das quais foi cA prestigiada revista médica "The Lancet" veio acreditar a vacina russa, Sputnik V, contra a qual foram lançadas todo o tipo de suspeitas.

As reações de Moscovo não se fizeram esperar. O diretor do Fundo de Investimento Direto, Kirill Dmitriyev, afirmou: "A publicação hoje na Lancet mostra realmente que a Sputnik V é a vacina para a Humanidade. É uma das três únicas vacinas com mais de 90% de eficácia, sendo realmente acessível, porque permite uma logística fácil, uma vez que pode ser armazenada entre 2 e 8 graus, e é baseada numa plataforma adenoviral humana muito segura e melhorada".

A Sputnik V já foi autorizada em 14 países para além da Rússia - Hungria, Argélia, Sérvia, Argentina, Bolívia, Venezuela, Paraguai, Turquemenistão, Bielorrússia, Cazaquistão, Emirados Árabes Unidos e Irão e há vários outros intressados, entre os quais países da Uniâo Europeia, como a Alemanha ou a Franç que aguardam a aprovação pela Agência Europeia do Medicamento.