Rússia quer pedido de desculpas da Agência Europeia de Medicamentos

Access to the comments Comentários
De  euronews  com Lusa
Rússia quer pedido de desculpas da Agência Europeia de Medicamentos
Direitos de autor  Jorge Saenz/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

A Rússia exige um pedido de desculpas à Agência Europeia do Medicamento depois de responsáveis europeus compararem a vacina Sputnik-V contra a covid-19 a "uma roleta russa".

"Nós pedidos um pedido de desculpas por escrito a Christa Wirthumer-Hoche da Agência Europeia do Medicamento pelos comentários negativos de membros da União Europeia sobre a Sputnik-V", escreveram os criadores da vacina, ligados ao centro de investigação Gamaleia e ao Fundo Soberano Russo (RDIF).

"Tais comentários são inapropriados e atentam contra a credibilidade da Agência Europeia do Medicamento e ao processo de avaliação" da vacina que ainda decorre, acrescenta a mensagem difundida através da rede social Twitter.

Para os organismos russos, os comentários indiciam que existem "possíveis interferências políticas" no processo de avaliação do composto Sputnik-V.

No domingo à noite, a presidente da direção da Agência Europeia do Medicamento, Christa Wirthumer-Hoche, desaconselhou os países da União Europeia de autorizarem a vacina russa invocando a falta de informações sobre as pessoas que já foram vacinadas com a Sputnik-V.

"É um pouco comparável a uma roleta russa", declarou em entrevista à televisão austríaca ORF.

"Até ao momento, nós não temos dados sobre os efeitos secundários", disse, sublinhando que os países devem esperar pela "luz verde" do regulador europeu.

A Sputnik-V atingiu na semana passada uma etapa importante no processo que pode conduzir à eventual aceitação por parte da União Europeia ao começar a ser analisada pela Agência Europeia do Medicamento, organismo com sede em Amesterdão.

As autoridades russas disseram ser capazes de fornecer 50 milhões de doses à Europa a partir de junho. Argumentando que a vacina já foi validada por 46 países, o fundo russo voltou a criticar a Agência Europeia do Medicamento por ter adiado durante meses o processo de validação da Sputnik-V.

Impacientes sobre a validação demasiado lenta, alguns países da União Europeia aprovaram o fármaco russo.

Sputnik V vai começar a ser produzida em Itália a partir de julho

A vacina russa contra a covid-19 vai ser produzida em Itália a partir de julho, anunciou a Câmara de Comércio Itália-Rússia, apesar de a Agência Europeia do Medicamento ainda não ter autorizado a sua distribuição.

“A vacina será produzida a partir de julho de 2021 nas fábricas da (farmacêutica italiana e suíça) Adienne, na Lombardia, em Caponago, perto de Monza”, no norte da Itália, disse o assessor de imprensa do presidente da Câmara de Comércio, Stefano Maggi, à agência de notícias francesa AFP.

“Serão produzidas dez milhões de doses entre 01 de julho e 01 de janeiro de 2022”, adiantou, sublinhando que se trata do “primeiro acordo a nível europeu para a produção no território da União Europeia (UE) da vacina Sputnik”.