Última hora
This content is not available in your region

Hotéis de Paris em crise tentam sobreviver à falta de turistas

euronews_icons_loading
Hotéis de Paris em crise tentam sobreviver à falta de turistas
Direitos de autor  screengrab AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Paris está de novo fechada a turistas e a outros viajantes devido ao agravamento local da propagação de Covid-19. Para o setor hoteleiro, é mais um período para piorar a já acentuada ausência de hóspedes numa das cidades mais visitadas do mundo.

Aliás, este novo confinamento imposto em 16 regiões franceses, que afeta sobretudo a de Ilha de França, onde se situa Paris, está a levar muitos dos residentes a tentar fugir da região para escapar às novas restrições.

Ainda mais um problema para os hotéis que vinham a tentar ajustar as respetivas ofertas aos habitantes locais com ofertas de luxo, normalmente só alcance de turistas endinheirados.

É o caso do Pullman Paris Tour Eiffel, um hotel situado a poucos metros do emblemático "farol" da capital francesa e da praça do Trocadeiro.

"Hoje em dia, não há praticamente clientela internacional. Estamos por isso a focar-nos nos clientes parisienses, isto é nos habitantes da região de Ilha de França. Estamos a tentar captar esta clientela que de facto não tínhamos ou que representava uma pequena percentagem. Atualmente já representa 15% do nosso público", revelou Patrick Arnoult, diretor do Pullman Tour Eiffel.

O hotel dirigido por Arnoult oferece, por exemplo, um quarto de casal "deluxe", com vista para a Torre Eiffel, de sábado, 27, para domingo, 28 de março, a partir de €289..

Com os restaurantes, museus, teatros e cinemas fechados há meses em Paris, os cinéfilos de carteira ainda preenchida podem de certa forma satisfazer a paixão de ^ver um filme em ecrã gigante no Hotel Paradiso.

Este empreendimento parisiense gerido pelo grupo MK2 transformou 36 quartos em salas de cinema privadas, para duas pessoas, onde os ecrãs são maiores que as camas.

"Os hotéis estão a sofrer. Os cinemas estão a sofrer. Por isso decidimos juntar os dois setores que estão em maior agonia e lançar uma oferta especial para este período. É uma novidade completa tanto da parte do cinema como da hotelaria que nos permite oferecer uma experiência híbrida", garante Nathanaël Karmitz, um dos diretores-executivos do grupo MK2.

Na respetiva página de Internet, o Paradiso assume-se como "o primeiro 'Cinema-hotel', um local único no mundo", e propõe uma noite a dois num quarto com um ecrã de 2,5 metros e no cartaz oferece o cardápio de algumas plataformas de "streaming", como a Netflix ou a Disney+.

Para uma noite de cinema em quarto de hotel, de 27 para 28 de março, o Paradiso propõe um quarto duplo de 23 metros quadrados, com duas camas gémeas, duche, um ecrã de cinema, som 3D e videoprojetor, por €278,10.