Última hora
This content is not available in your region

Bruxelas reage a incidente protocolar na Turquia

euronews_icons_loading
Bruxelas reage a incidente protocolar na Turquia
Direitos de autor  -/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O incidente protocolar ocorrido na terça-feira em Ancara por ocasião da visita de uma delegação da União Europeia causou polémica em Bruxelas.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, não escondeu o desconforto ao ser forçada a sentar-se num sofá em vez da tradicional poltrona durante a visita oficial à Turquia.

O presidente turco, Erdogan, e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, sentaram-se nas duas cadeiras protocolares reservadas para o efeito.

"A presidente da comissão europeia decidiu dar prioridade à substância em vez de ao protocolo. No entanto, tenho que sublinhar que a presidente espera que a instituição que representa seja tratada com o protocolo adequado e como tal falou com a sua equipa para tomar todas as medidas oara assegurar que incidentes destes não se repetem", afirmou o porta-voz chefe da Comissão Europeia, Eric Mamer.

Os eurodeputados denunciaram a afronta sofrida pela primeira mulher a ocupar a presidência da Comissão Europeia.

No ano passado, o chefe da diplomacia europeia Josep Borrell sentou-se numa cadeira.

E no passado, também os antigos presidentes Donald Tusk e Jean-Claude Juncker foram tratados de igual para igual.

No entanto, peritos em protocolo dizem que Ancara não cometeu erros.

"O protocolo turco respeita a 100% os padrões protocolares internacionais. Trata-se de um encontro muito típico entre delegações, no qual ao chefe da delegação que visita é atribuído o lado mais elevado, neste caso, o lado direito do anfitrião", defende Thomas Sladko, diretor-geral da escola de formação protocolar ISPD.

O incidente ocorreu poucos dias após a Turquia ter anunciado a saída da Convenção de Istanbul, um acordo internacional para a proteção dos direitos das mulheres e para prevenir a violência doméstica.