EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

EMA recomenda segunda dose da Astrazeneca a quem tomou a primeira

EMA recomenda segunda dose da Astrazeneca a quem tomou a primeira
Direitos de autor JORGE GUERRERO/AFP or licensors
Direitos de autor JORGE GUERRERO/AFP or licensors
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Agência Europeia do Medicamento recomenda que quem já tomou a primeira dose da AstraZeneca deve tomar a segunda. E descarta a mudança para outra vacina na segunda dose. A EMA diz ainda que os benefícios da vacinação aumentam nas idades mais avançadas e face ao aumento das taxas de infeção.

PUBLICIDADE

A Agência Europeia do Medicamento recomenda que quem já tomou a primeira dose da AstraZeneca deve tomar a segunda. E descarta a mudança para outra vacina na segunda dose. A EMA diz ainda que os benefícios da vacinação aumentam nas idades mais avançadas e face ao aumento das taxas de infeção.

"A informação disponível sustenta que deve continuar a ser dada a segunda dose da vacina da Astrazeneca entre quatro e 12 semanas após a primeira toma, em linha com a informação do produto. A informação disponível não defende atrasar ou evitar a segunda dose da vacina", defendeu Noel Wathion, diretor executivo adjunto da EMA.

A Áustria vai aliviar as medidas restritivas de combate à pandemia a partir de 19 de maio. Restaurantes, hotéis e teatros vão poder abrir as suas portas novamente, pela primeira vez, em cinco meses. O chanceler admitiu também que o recolher obrigatório noturno possa ser levantado.

O presidente russo, Vladimir Putin, apoiou a ideia de unir dois períodos com feriados em maio, criando uma espécie de 10 dias de férias, para conter a disseminação do novo coronavírus. A paragem vai acontecer de 1 a 10 de maio, mas não haverá confinamento durante este período.

A presidente do Tóquio 2020, Seiko Hashimoto, disse que o comité não está a ponderar cancelar os Jogos Olímpicos, apesar de o Japão ter anunciado mais um estado de emergência na capital e noutras três cidades, devido ao aumento de casos de Covid-19 e internamentos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Moscovo diz que ataques ucranianos na Rússia e Crimeia fizeram seis mortos e mais de 100 feridos

Ataque no Daguestão faz pelo menos seis mortos e 12 feridos

Rússia bombardeia zona civil em Kharkiv e deixa 14 edifícios destruídos