Última hora
This content is not available in your region

UNESCO classifica sítios judaicos alemães como Património Mundial

euronews_icons_loading
UNESCO classifica sítios judaicos alemães como Património Mundial
Direitos de autor  EV - Euronews
De  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

As cidades alemãs de Mainz, Speyer e Worms, na Renânia-Palatinado, são consideradas o berço da comunidade judaica da Europa Central.

Esta herança judaica medieval das chamadas "comunidades SchUM" foi agora reconhecida pela UNESCO e incluída na Lista do Património Mundial.

Maria Boehmer, Presidente do Comité Alemão da UNESCO, diz: "Comemoramos os lados brilhantes, mas também os lados obscuros. E isso também significa que temos de aproveitar a oportunidade que nos é dada pela mensagem da vida judaica para nos opormos ao ódio".

Os sítios do Património Mundial incluem os antigos cemitérios em Mainz e Worms, a Sinagoga de Worms e o Speyer Judenhof, com o seu banho ritual medieval.

Na Idade Média, judeus das três cidades do Reno juntaram-se para formar a Federação das Comunidades "SchUM", que deve o nome às letras iniciais das cidades hebraicas de Speyer (Schpira), Worms (Warmaisa) e Mainz (Magenza).

A presidente da câmara de Speyer, Stefanie Seiler, realça a importância da classificação dos sítios: "Politicamente, socialmente, é um sinal muito, muito grande. Talvez até um sinal maior, como os monumentos aqui no chão também nos mostram".

Os sítios "SchUM" são o primeiro Património Mundial judaico na Alemanha.

Muitas memórias da outrora rica história judaica das três cidades foram destruídas no pogrom, a perseguição aos judeus durante o nazismo.