EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Argélia investe no sistema educativo para impulsionar crescimento económico

Argélia investe no sistema educativo para impulsionar crescimento económico
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma juventude cada vez mais educada e aberta ao mundo. A aposta da Argélia no desenvolvimento humano, em "Algeria Tomorrow".

PUBLICIDADE

Em _Algeria Tomorrow ve_mos como a Argélia aposta no desenvolvimento humano e na educação para assegurar o seu crescimento.

Na véspera da sua independência, há 60 anos, havia apenas algumas centenas de estudantes argelinos aqui na Universidade Central de Argel, que era a única do país e era francesa. Hoje, a Argélia tem várias dezenas de universidades e centros de investigação, mais de um milhão e meio de estudantes... E muitos novos desafios pela frente.
CYRIL FOURNERIS
EURONEWS

Uma das prioridades da Argélia independente era erradicar o analfabetismo da altura (estimado em 85% da população, em 1962). O ensino gratuito e obrigatório aumentou a taxa de alfabetização para mais de 81%. Entre os jovens entre os 15-25 anos, esta taxa aproxima-se agora dos 100%.

Outra prioridade tem sido permitir que os argelinos assumam o desenvolvimento económico do país. Em 1974, o arquiteto Oscar Niemeyer concebeu a Universidade de Ciência e Tecnologia Houari Boumediène, em Argel. Mais de 100 mil dos seus licenciados trabalham agora na Argélia e em todo o mundo, para o orgulho do reitor.

Na altura, havia 2.000 estudantes para começar esta universidade, que durante muito tempo teve o papel de formação de quadros. Agora há 50.000 estudantes.
DJAMAL-EDDINE AKRETCHE
REITOR DA UNIVERSIDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA HOUARI-BOUMEDIENE (USTHB)

"E há cada vez mais estudantes do sexo feminino também, disse o jornalista da euronews, Cyril Fourneris.

Sim, de facto, o que podemos ver é que quase 60% do corpo estudantil é do sexo feminino. Eu diria que isto é uma novidade porque lembro-me que nos anos 70 e 80, nas ciências tecnológicas e básicas, isto não ultrapassava os 10%.
DJAMAL-EDDINE AKRETCHE
REITOR DA UNIVERSIDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA HOUARI-BOUMEDIENE (USTHB)
Falamos muito sobre empreendedorismo, start-ups, incubadoras... A Universidade (USTHB) vai assumir estes termos e isto começou com muita interação com o sector socioeconómico, por um lado, e, por outro, para mudar a mentalidade do estudante, dizendo "vocês devem ser criadores de riqueza e não candidatos a um emprego.
DJAMAL-EDDINE AKRETCHE
REITOR DA UNIVERSIDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA HOUARI-BOUMEDIENE (USTHB)

Esta ideia propagou-se através dos 73 laboratórios de investigação da Universidade. Um estudante de farmacologia está a testar um creme cosmético.

Graças a esta formação, talvez um dia eu possa gerir a minha própria empresa, talvez inventar o meu próprio creme, que todos comprariam... esse é o meu objetivo!
RYM ARABDIOU
estudante

Foi lançado um mestrado profissional em parceria com empresas nacionais, visto que a Argélia pretende ser líder regional na produção de medicamentos.

Atualmente, nós (a Argélia) conseguimos cobrir até 70% das necessidades da população argelina com genéricos e planeamos também participar nas exportações, para a África Oriental ou Ocidental".
KAMEL DAOUD
PROFESSOR-INVESTIGADOR NA USTHB

O espírito empreendedor está cada vez mais presente entre os estudantes argelinos. Isto é particularmente verdade aqui, na Escola Superior de Negócios Argelina. Aos 20 anos, durante o seu primeiro ano, Rania criou o clube de negócios da escola com o seu colega de turma Aymen. Os dois estudantes já sonham em gerir o seu próprio negócio.

Tenciono trabalhar numa empresa, nas "Quatro Grandes " [as 4 maiores empresas de auditoria do mundo]. Quero criar indústria [na Argélia] e tenho uma visão que está orientada para os países subsarianos.
AYMEN AIT HAMOUDA
Estudante
Penso que o setor dos eventos está muito na moda neste momento... Gostaria de investir aqui na Argélia porque é um território de oportunidades que está em pleno desenvolvimento, por isso estaria muito interessado em estabelecer-me aqui e desenvolver o meu projeto a Argélia, no futuro.
RANIA BENZERHOUNI
Estudante

A ESAA, uma escola pública fundada em 2004 e fruto da cooperação franco-argelina, é hoje uma das melhores escolas de negócios em África. A abertura ao mundo está no seu ADN. E muitos dos seus estudantes continuam os estudos no estrangeiro.

A mobilidade é uma parte integrante de qualquer formação ou curso profissional. Partir para melhor regressar é um dos credos dos alunos e ex-alunos da escola... Por isso, não temos medo desta abertura. A prova é que muitos dos nossos ex-alunos ainda estão aqui a trabalhar em posições muito elevadas.
KARIM KIARED
DIRETOR-GERAL DA ESCOLA SECUNDÁRIA ARGELINA DE NEGÓCIOS (ESAA)

Um dos desafios do desenvolvimento humano na Argélia será de facto oferecer a oportunidade de crescerem no seu país, a um máximo de estudantes

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Como a Argélia transformou o deserto num terreno agrícola fértil