EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Manifestantes ocupam palácio presidencial no Sri Lanka

Ocupação do Palácio Presidencial do Sri Lanka
Ocupação do Palácio Presidencial do Sri Lanka Direitos de autor Eranga Jayawardena/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Eranga Jayawardena/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Centenas de manifestantes ocuparam o palácio presidencial e a residência do primeiro-ministro do Sri Lanka. Exigem a demissão de ambos

PUBLICIDADE

Após meses de protestos nas ruas, os cingaleses conseguiram a promessa de demissão do presidente e do primeiro-ministro e ocuparam este domingo o Palácio Presidencial e a residência oficial do chefe do governo.

Cansados de promessas dizem que só arredam pé quando ambos se demitirem de facto.

Um manifestante afirma: "É com prazer que vemos como ganhámos realmente a liberdade tendo passado por esta presidência rígida que governava o país. Este presidente e o primeiro-ministro deveriam ter-se demitido há muito tempo, mas resistem à luta do povo. Portanto, penso que temos cerca de 90 por cento de vitória, por isso, vamos esperar até à realização dos 100 por cento. "

A situação política é algo caótica, mas não há incidentes de maior a registar.

O exército está a apelar à ajuda do povo para manter a lei e a ordem, enquanto os partido políticos da oposição se reúnem para alcançarem um acordo sobre um novo governo.

Há meses que o Sri Lanka vive manifestações e tumultos com pedidos de demissão do presidente e do chefe do governo, na sequência do colapso económico que desencadeou uma escassez de alimentos, combustíveis e outros bens essenciais.

As manifestações praticamente desmantelaram a dinastia política Rajapaksa, que governou o Sri Lanka durante a maior parte das duas últimas décadas, mas é acusada pelos manifestantes de má gestão e corrupção.

O irmão mais velho do presidente demitiu-se do cargo de primeiro-ministro em maio, após violentos protestos e procurou segurança numa base naval.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Comissão de Veneza pede revogação de lei polémica na Geórgia

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"