This content is not available in your region

Grécia sai do regime de vigilância reforçada

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Grécia saíu da situação de vigilância reforçada
Grécia saíu da situação de vigilância reforçada   -   Direitos de autor  AFP

A Grécia saiu este sábado da situação de vigilância reforçada imposta pela Comissão Europeia, na sequência do pedido de ajuda financeira de 2010. A parir de agora, o país deixa de enfrentar o escrutínio trimestral das finanças públicas para receber os pagamentos de alívio da dívida. O primeiro-ministro fala de “um novo horizonte de crescimento, unidade e prosperidade".

Kyriakos Mitsotakis tem agora uma maior liberdade sobre o orçamento, numa altura em que a Grécia, como toda a Europa, enfrenta uma crise pós-pandémica de custo de vida e energia desencadeada pela guerra da Rússia na Ucrânia.

O marco histórico deste sábado marca exatamente quatro anos a partir do fim do programa de empréstimos internacionais que deixou os gregos derrotados mas ainda membros da União Europeia e da moeda comum.

Os investidores deixaram de emprestar dinheiro à Grécia em 2010, depois de Atenas ter reconhecido que os dados orçamentais fundamentais estavam errados. Para manter o país a funcionar, os seus parceiros europeus e o Fundo Monetário Internacional aprovaram três programas de empréstimos de salvamento, que duraram de 2010 a 2018, no valor total de 290 mil milhões de euros.

Os programas conduziram a orçamentos equilibrados e a um regresso bem-sucedido à contração de empréstimos governamentais nos mercados internacionais.

No ano passado, a economia recuperou a maior parte da contração de 9% induzida pela pandemia de 2020 e prevê-se que cresça 3,5% este ano.