This content is not available in your region

O setor da hotelaria está de olhos postos no Médio Oriente, África e Turquia

Access to the comments Comentários
De  euronews
O setor da hotelaria está de olhos postos no Médio Oriente, África e Turquia
Direitos de autor  euronews   -   Credit: Dubai

O setor da hotelaria está de olhos postos no Médio Oriente, África & Turquia, regiões que registam um grande crescimento ao nível do turismo. A euronews falou com Jochem-Jan Sleiffer, presidente do grupo Hilton no Médio Oriente, África e Turquia.

euronews: “Qual é a posição do Médio Oriente e Norte de África (MENA) em relação a outros mercados?”

Jochem-Jan Sleiffer: “A região MENA é uma região muito interessante. E diversificada. No Norte de África, em particular em Marrocos, onde começámos a trabalhar há apenas alguns anos, com dois hotéis, estamos a crescer rapidamente. Já estamos no Egito, há mais de 50 anos, por isso temos um verdadeiro legado nesse país. E depois, há os Emirados Árabes Unidos, o nosso maior mercado na região do Médio Oriente e Norte de África. Mas, a Arábia Saudita é o mercado com maior crescimento para nós. De facto, a região está a crescer. No futuro, esse crescimento deverá ser ainda mais rápido porque as pessoas querem realmente viajar para aqui. Por isso, é uma parte muito importante do nosso negócio. Em comparação com o ano passado, crescemos 68% , ao nível das receitas. Um aumento de 4% em relação a 2019. O nosso desempenho é muito bom e, além disso, este mercado também alimenta o mercado da Europa. Os trabalhadores expatriados que vivem no Médio Oriente, e também as pessoas do Médio Oriente, viajam para a Europa no Verão. No Inverno é o contrário. Outra razão pela qual é importante para nós ter hotéis nesta região é familiarizar as pessoas com as nossas diferentes marcas. Por isso, quando viajam para a Europa, voltam a ficar connosco”.

A primeira cimeira da hospitalidade

euronews: "Recentemente, foi convidado a falar na Cimeira sobre a hospitalidade do futuro, aqui no Dubai. Que mensagem chave tentou transmitir ao setor?"

Jochem-Jan Sleiffer: "Deixe-me dizer, antes de mais, que se tratou da primeira Cimeira da Hospitalidade do Futuro, uma grande cimeira, após a pandemia. Foi muito bom. Os investidores estavam presentes, os proprietários dos nossos hotéis e futuros proprietários dos nossos hotéis. Falámos de acordos de gestão com futuros proprietários. Um dos grandes temas da cimeira foi a questão ambiental, social e a governança (do inglês ESG: Environmental, Social and Governance), tudo o que tem a ver com sustentabilidade".

Jochem-Jan Sleiffer: "Está ligado à iniciativa Evolvin' Women, um projeto para empoderar as comunidades. O que é que se alcançou até agora?"

Parcerias com as comunidades locais

Jochem-Jan Sleiffer: "Trata-se de dar às mulheres, principalmente fora de África, uma oportunidade de ganhar experiência, compreender o o negócio da hospitalidade, porque a hospitalidade não é vista como uma oportunidade de carreira. A vantagem de estarmos nos Emirados Árabes Unidos é que as pessoas de todos esses países, principalmente africanas, podem viver essa experiência aqui. É algo que na Europa não podemos fazer. É muito interessante. Com a ajuda da Evolvin' Women, criamos um ambiente seguro para que essas mulheres adquiram experiência, sejam formadas e criem a sua própria carreira. Na semana passada, estive num dos nossos hotéis onde conheci uma mulher que participa no programa, no âmbito da nossa parceria com a Evolvin' Women. A ambição dela é adquirir experiência para tornar-se gerente mais tarde no seu próprio país. É algo muito bom. E depois temos a SEDRA, uma iniciativa fabulosa. Ajuda-nos a criar um ambiente seguro para que as pessoas com deficiência ganhem experiência e encontrem um objetivo. Na semana passada, assinei dois contratos sem termo, com duas pessoas que adquiriram experiência nos nossos hotéis, dois jovens com uma deficiência, completamente diferentes, que encontraram um objetivo na vida ao trabalhar num dos nossos hotéis Hilton.

A redução do desperdício alimentar na hotelaria

euronews: "A sustentabilidade foi um tema importante na cimeira deste ano. Tem objectivos ambiciosos para 2030. Como planeia atingi-los?"

Jochem-Jan Sleiffer: "Recentemente, realizámos estudos sobre a Geração Z aqui nos Emirados Árabes Unidos para identificar o que é importante para eles, no local de trabalho, no período pós-pandemia. Dois terços dos inquiridos dizem que querem trabalhar para uma empresa que tem um objetivo. Um quarto disse que quer trabalhar para uma empresa líder em sustentabilidade. É muito importante preocupar-nos com o ambiente e atrair também as pessoas certas. São os dois lados da equação. Em relação à sustentabilidade, mais de 90% dos nossos hotéis possuem iluminação totalmente LED, o que é muito importante para reduzir o consumo de energia. Outra coisa importante, que suscita bastante orgulho, é termos conseguido, em 95% dos nossos hotéis, obter poupanças significativas em relação ao desperdício alimentar. O desperdício alimentar é um dos maiores problemas mundiais. Temos um fornecedor chamado Winnow, que utiliza a Inteligência Artificial para para medir o desperdício diário e reduzir esse desperdício alimentar de forma substancial. Nesta região, a redução corresponde a cerca de 600.000 refeições, o que constitui uma enorme quantidade de desperdício alimentar que deixou de existir. Um dos aspetos em que devemos investir é trabalhar mais com fornecedores locais. Por exemplo, aqui nos Emirados Árabes Unidos, anunciámos no início do ano que iríamos comprar 350 toneladas de produtos locais. Hoje, posso dizer que chegámos às 291 toneladas de produtos locais. Fizemos uma poupança substancial, o que evita o transporte dessas mercadorias por avião".