Deutsche Bank: Ainda não há acordo com Washington

Deutsche Bank: Ainda não há acordo com Washington
De  Patricia Cardoso com Reuters, ANSA
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O patrão do banco alemão esteve em Washington mas não terá conseguido fechar um acordo para baixar a multa de 14 mil milhões de dólares. Mercado reage. Ações estão em queda.

PUBLICIDADE

A pressão mantém-se sobre as ações do Deutsche Bank. Esta segunda-feira, os títulos chegaram a cair mais de três por cento. Mas no final do dia fechavam em alta, acima dos 3%.

No início da sessão, o mercado reagiu à ausência de um acordo rápido com o Departamento norte-americano de Justiça para reduzir a multa pela venda de títulos hipotecários tóxicos. O presidente executivo do Deutsche Bank, John Cryan, esteve em Washington e não terá conseguido chegar a um acordo para baixar a multa de 14 mil milhões de dólares.

Deutsche Bank falls after no deal reached with DoJ https://t.co/ZAc7Tv6qwq

— Reuters Top News (@Reuters) 10 de outubro de 2016

A isto juntam-se as revelações do Financial Times. Segundo o jornal, o Deutsche Bank foi beneficiado pelo BCE nos testes de resistência de julho.

O BCE permitiu que o Deutsche Bank contabilizasse a venda da participação no banco chinês Hua Xia, que esperava concluir até ao fecho do balanço de 2015. No entanto, o negócio ainda não está concluído e o BCE não terá dado as mesmas condições a outros bancos europeus.

FT learns that Deutsche Bank was given special treatment in this summer's EU stress tests https://t.co/Yvqdb7gP9Qpic.twitter.com/Wzbf6JLae9

— Financial Times (@FT) 10 de outubro de 2016

A situação financeira do Deutsche Bank preocupa. Para lá da multa recordo nos Estados Unidos, o banco possui uma carteira de derivados que atinge 46 biliões de euros e as ações já desvalorizaram 50% este ano. Segundo a agência Bloomberg, está em preparação um aumento de capital.

O fundo soberano do Qatar poderá, assim, aumentar a participação de 10 para 25%, reforçando a posição de maior acionista. Haverá também empresas alemãs prontas a injetar dinheiro no maior banco alemão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Que futuro para o Deutsche Bank?

Multa recorde de 14 mil milhões de dólares "afunda" Deutsche Bank na bolsa

Quem são as GRANOLAS? Um olhar sobre os "Magnificent Eleven" da Europa