EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Artista alemã usa tampas de rua para fazer roupa

Artista alemã usa tampas de rua para fazer roupa
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Lisboa é uma das cidades a inspirar Emma France Raff, aiás Raubdruckerin.

PUBLICIDADE

Em Berlim, a arte está debaixo dos nossos pés. O projeto Raubdruckerin encontrou uma forma original de se expressar: Primeiro, pinta as tampas de canalização urbana. Depois, utiliza esses padrões para imprimir peças de roupa.

Emma France Raff, artista e criadora de moda, é a alma deste projeto: “Estas estampagens não são criadas por mim. Apenas as ponho num outro contexto. Vêm da superfície das ruas, do cimento e das grelhas das tampas de canalização. Eu transformo esses elementos em t-shirts e outras coisas, assim eles ganham uma nova vida. É daí que vem o nome Raubdruckerin. Aquela que rouba as cópias”, explica a artista.

Emma France Raff utiliza estes elementos como blocos a partir dos quais faz uma estampagem. Aplica a tinta diretamente na superfície das tampas ou de outros objetos urbanos e eles tornam-se moldes para o trabalho. Tanto as tintas como os tecidos são biodegradáveis.

Raubdruckerin, coletivo de artistas alemães, usa tampas de bueiros para estampar camisetas… https://t.co/IgGkwlFeeipic.twitter.com/keHjIrsM2K

— snap: iadriel (@iv_adriel) August 15, 2016

Marcel Schlutt, jornalista da revista de moda ‘Kaltblut’ confirma que se trata de uma nova tendência: “Usar a cidade, ou aquilo que a cidade nos dá, é mais urbano que o graffiti. Todos os dias ando na cidade. Eu e milhares de pessoas. O que ela faz é muito original. Não é como um artista que faz um graffiti que se torna parte integrante da cidade, é uma coisa diferente. É mais urbano”.

France Raff vende as peças na Internet e também numa pequena loja em Nikolaiviertel, um dos bairros mais frequentados de Berlim.

Sempre que o tempo o permite, Emma parte à descoberta da cidade de bicicleta, à procura de novos padrões. Tem sempre o material com ela, numa pequena mala. O trabalho reúne sempre muita gente à volta e só então as pessoas percebem a beleza que têm por baixo dos pés. Além de Berlim, Amesterdão e Lisboa são outras cidades que forneceram motivos para estas estampagens.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O distrito cultural que transforma o espaço artístico de Abu Dhabi

A Gamesummit 2024 prevê competições emocionantes, espetáculos e debates interessantes sobre jogos

"Tudo no Classic Violin Olympus é único!": uma entrevista com Pavel Vernikov