This content is not available in your region

Realizadora bósnia Jasmila Žbanić vence Prémios Europeus do Cinema 2022

euronews_icons_loading
Realizadora bósnia Jasmila Žbanić vence Prémios Europeus do Cinema 2022
Direitos de autor  euronews
De  Frédéric Ponsard  & euronews

A realizadora bósnia Jasmila Žbanić foi a grande vencedora dos Prémios Europeus do Cinema 2022.

Jasmila Žbanić arrecadou três prémios, incluindo o galardão para Melhor Filme e Melhor Realizador pelo filme Quo Vadis, Aida?

As mulheres de Srebrenica

 A longa-metragem aborda o massacre em Srebrenica, durante a Guerra dos Balcãs, onde mais de oito mil homens muçulmanos bósnios foram assassinados por soldados sérvios bósnios.

"Gostaria de agradecer as mulheres de Sreberenica, que são as vozes da paz mais fortes da Europa de hoje. Após uma tragédia em que perderam os filhos, os maridos e todos os membros masculinos das suas famílias, continuam a defende a vida, juntas", afirmou Jasmila Žbanić.

A atriz Jasna Đuričić interpreta o papel principal de Quo Vadis, Aida? e venceu o prémio de melhor atriz. Um desempenho que não deixou indiferente a Academia Europeia de Cinema, composta por 4200 profissionais da indústria cinematográfica.

"Este prémio é para todas as vítimas, e para todas as mães, muito obrigada", disse Jasna Đuričić.

euronews
Jasmila Žbanić arrecadou três prémios, incluindo o galardão para Melhor Filme e Melhor Realizadoreuronews

"Flee": a luta pela liberdade de um refugiado afegão

O filme "Flee” do realizador franco-dinamarquês Jonas Poher Rasmussen, é outro dos grandes vencedores do ano e arrecadou de forma singular os prémios de Melhor Documentário e Melhor Filme de Animação.

A obra conta a história de Amin, um afegão obrigado a fugir do seu país no final dos anos 80, quando ainda era criança. Trinta anos depois, estudante universitário na Dinamarca, conta ao seu melhor amigo a verdadeira história da sua viagem e da sua luta pela liberdade.

"Quero agradecer a Amin, o meu amigo, obrigado por confiares em mim, obrigado pela tua generosidade e pela tua coragem", afirmou o realizador.

euronews
"Flee” do realizador franco-dinamarquês Jonas Poher Rasmussen conta a história emocionante de um refugiado afegãoeuronews

O prémio Inovação para Steve McQueen

Steve McQueen foi distinguido com o prémio Innovative Storytelling por uma série de cinco filmes baseados nas experiências da vida da comunidade das Antilhas, em Londres, entre 1969 e 1982.

O realizador britânico dedicou o prémio às vítimas da tragédia do incêndio da Torre Grenfell de 2017 em Londres.

"Small Axe fala de nós, da comunidade, de união, de mudança. Quero dedicar este prémio, aos sobreviventes de Grenfell, e às pessoas que morreram durante a tragédia de Grenfell em Londres há alguns anos", disse Steve McQueen.

Anthony Hopkins foi distinguido com o prémio de Melhor Ator pelo desempenho no filme O Pai de Florian Zeller. A obra recebeu também o prémio de Melhor Argumento.

O melhor do cinema europeu

Este ano, a Academia Europeia de Cinema atribuiu dois prémios carreira. O primeiro recompensou a realizadora dinamarquesa Susanne Bier, que já foi nomeada para Óscares e Globos de Ouro. Márta Mészáros, hoje com 90 anos, foi a segunda realizadora premiada com um prémio carreira. A cineasta húngara relatou através de ficções e documentários, a vida das pessoas, no século XX na Hungria.

Os Prémios Europeus de Cinema celebram as melhores obras da sétima arte no velho continente. Tal como em 2020, a cerimónia foi transmitida em direto a partir de Berlim, sem público devido à pandemia.