La Scala defende encenação de ópera russa

Dominique Meyer, diretor geral do La Scala
Dominique Meyer, diretor geral do La Scala Direitos de autor Ermes Beltrami/LaPresse
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Instituição responde a protestos ucranianos e diz que não faz propaganda ao Kremlin

PUBLICIDADE

O La Scala de Milão, mais famosa casa de ópera de Itália, defendeu a decisão de encenar a obra russa "Boris Godunov" como espetáculo de abertura da sua próxima época.

Uma reação aos protestos de vários diplomatas ucranianos em território italiano, que defendem que pôr em evidência a cultura russa durante a invasão da Ucrânia envia uma mensagem errada.

Dominique Meyer, diretor geral do La Scala:"É uma decisão que foi tomada há três anos. É impossível cancelar um projeto desta envergadura... E porque deveriamos fazê-lo? Ao pôr em cena 'Boris Godunov' não fazemos propaganda a Putin. Temos de ver a diferença ente a situação política atual e a Rússia. Esta é uma obra prima na história da arte."

O La Scala já organizou um concerto em benefício da Ucrânia, que permitiu recolher 400.000 euros e acolheu crianças de uma escola de dança de Kiev, que chegaram a Itália com as respetivas famílias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ópera russa no La Scala é alvo de protestos durante estreia

Paris: Exposição no Museu D'Orsay celebra 150 anos do impressionismo

Prémios Mundiais de Fotografia de Natureza 2024: eis as espetaculares imagens vencedoras