EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

UE não tem intenção de separar os processos de adesão nos Balcãs

UE não tem intenção de separar os processos de adesão nos Balcãs
Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

UE não tem intenção de separar os processos de adesão nos Balcãs. A Bulgária vetou o processo da Macedónia do Norte alegando diferenças de história e língua

PUBLICIDADE

Após um hiato de vários meses, o papel estratégico da União Europeia nos Balcãs Ocidentais regressou aos encontros dos ministros dos negócios estrangeiros da UE.

O processo de alargamento ganhou novo impulso há um ano quando a Macedónia do Norte e a Albânia receberam a luz verde da União Europeia com vista ao início do processo de adesão.

No entanto, este processo foi interrompido após o veto da Bulgária alegando diferenças históricas e de língua.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell afirmou esta segunda-feira que separar os processos de adesão dos dois países estava fora de questão.

"Temos que avançar com os processos de adesão da Albânia e Macedónia do norte e já agora sublinho que nunca hoive intenção de separar os dois países nos respetivos processos de adesão" deixou claro o Alto Representante da União Europeia para Assuntos Externos, Josep Borrell.

Numa entrevista à euronews, o primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Zoran Zaev, disse que atrasar o processo coloca em risco a estabilidade da região.

"A continuação do bloqueio representa um enorme risco. Igualmente para a Bulgária, e para a Macedónia do Norte de certeza. Porque, como se vê, começa aparecer em vários documentos de trabalho que contêm ideias muito dramáticas. O que posso confirmar é que é possível. São os Balcãs. Os Balcãs eram uma bomba nem há um século, há 10, 20 anos. Não queremos repetir isso", alertou o primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Zoran Zaev.

Josep Borrell adianta que cabe agora aos estados-membros submeterem as propostas provavelmente até ao verão, sobre formas de fortalecer a relação com os Balcãs Ocidentais limitando igualmente a influência externa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líderes europeus reforçam importância da unidade como "maior trunfo" da UE

Macedónia do Norte põe travão nas exigências bulgaras

O motivo búlgaro para impedir a Macedónia do Norte na UE