Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Qualquer que seja o vencedor, é Khamenei quem decide"

"Qualquer que seja o vencedor, é Khamenei quem decide"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um país onde os dirigentes alimentam a hostilidade contra o Ocidente e onde grande parte dos habitantes vive sob repressão e abaixo do limiar da pobreza. O Irão prepara-se para escolher um novo presidente. Que mudanças pode esta eleição trazer para os iranianos e para a comunidade internacional? A vencedora do Prémio Nobel da Paz, Shirin Ebadi, uma acérrima defensora dos direitos humanos no seu país natal, o Irão, foi a convidada neste I-talk.

Ebadi não tem grandes dúvidas sobre o que vai acontecer neste escrutínio: “sendo as eleições organizadas pelo regime, vai haver manipulação. Do meu ponto de vista, para que as eleições sejam livres, era preciso existir um controlo por parte da ONU. É claro que o governo nunca o aceitaria, porque a vigilância das instituições internacionais impediria as fraudes eleitorais.”

Segundo a laureada com o prémio Nobel, “seja Said Jalili ou qualquer um dos outros [a vencer as eleições], não haverá alterações na política nuclear. Neste domínio, o único que pode tomar decisões é Ali Khamenei e ele não vai permitir que um presidente avance com mudanças.” Perante este cenário, a mensagem que Shirin Ebadi deixa aos seus compatriotas é a seguinte: “que o povo do Irão resista até alcançar os seus direitos. Continuem a resistir tranquilamente e saibam que a vitória está do vosso lado.”