Última hora
This content is not available in your region

Como tornar as disciplinas STEM mais atrativas

De  Euronews
Como tornar as disciplinas STEM mais atrativas
Tamanho do texto Aa Aa

STEM é o acrónimo inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Estas quatro disciplinas ajudam os mais jovens a encontrar um trabalho e podem levar a uma grande variedade de carreiras de sucesso, mas são muitas vezes preteridas pelos estudantes. Como tornar estas disciplinas mais atrativas?

O sistema de ensino de Singapura tem boa reputação pelos resultados conseguidos, especialmente, em matemática e ciências. Visitámos a Nanyang Technological University, uma das maiores universidades de engenharia do mundo, que para além da pesquisa e desenvolvimento de ponta também tem cursos de artes e inovação de média. De uma certa forma, representa o que Singapura está a tentar alcançar ao dar ênfase à ciência e à tecnologia, mas também incentivando formas criativas de ensinar e pensar. O governo de Singapura prometeu gastar 13 mil milhões de dólares, 10 mil milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento nos próximos cinco anos. A universidade de Nanyang recebeu importantes doações para fazer pesquisa em áreas como as energias verdes, nanotecnologia e engenharia biomédica e quer ver os seus alunos não apenas a alimentar essas indústrias do futuro, mas também a liderá-las.

Em Chipre, entre a zona tampão da ONU e as áreas controladas pela República de Chipre, a Ciência começa a tornar-se interessante. Numa mediateca local, Viken Tavitian dá uma aula que mais parece um espetáculo de ciência chamado “Vikexploratorium”. O público é composto por entusiastas de ciência, mas também por leigos que pretendem apenas aprender um pouco mais de forma divertida. Nas suas experiências Viken utiliza objetos que normalmente são deitados fora. O espetáculo foi concebido para explicar de forma simples, mas educativa, princípios científicos complexos. Uma forma de mostrar que a ciência está ao alcance de todos.

Skolkovo, a cidade da inovação da futura Rússia. O projeto foi lançado pelo governo em 2009. Por ano, o Estado consagra pouco mais de dois mil milhões de euros para o desenvolvimento de Skolkovo. O projeto deverá ficar concluído em 2015. A cidade foi projetada para incluir vários departamentos: tecnologias da informação, espaço, tecnologia nuclear, entre outros. No centro do projeto está a formação no âmbito das disciplinas STEM. O Instituto de Ciência e Tecnologia de Skolkovo, também conhecido como Skoltech deverá abrir as portas oficialmente em setembro, mas um grupo de 20 alunos de um programa piloto em tecnologias de informação e programas energéticos iniciaram o ano letivo em 2012. O objetivo do instituto é o de se tornar uma referência mundial.