Última hora

Última hora

The Corner, viagem pelo futebol europeu

Em leitura:

The Corner, viagem pelo futebol europeu

The Corner, viagem pelo futebol europeu
Tamanho do texto Aa Aa

Nesta décima segunda edição do Corner, fazemos uma viagem pelos vários campeonatos de futebol da Europa.

Começamos com o Bayern de Munique, que na semana passada confirmou o lugar de campeão da Alemanha, pela vigésima quarta vez, quando faltam ainda sete jogos. Um recorde.

Os 3-1 em Berlim, contra o Herta, deram-lhe uma décima nona vitória consecutiva, outro recorde. 53 jogos sem perder, contando com o jogo do fim de semana. A equipa de Guardiola pode agora abrir o champanhe e centrar-se na Liga dos Campeões. Nem o empate na Allianz Arena com o Hoffenheim, no domingo, estragou a festa.

Na receção ao Hoffenheim, o Bayern de Munique não conseguiu melhor que um empate. O jogo foi recheado de golos, com os visitantes a marcarem primeiro, com um golo do francês Anthony Modeste.

O Bayern empatou pouco depois por Pizarro. A bola passou antes por Rafinha e por Shaqiri. Logo a seguir, aos 34 minutos, mais um golo com intervenção dos mesmos jogadores, é a vez de Xherdan Shaqiri, a passe de Rafinha, fazer o 2-1.

Cláudio Pizarro bisou pouco depois e pôs o Bayern a vencer por 3-1, com uma tabelinha com Ribéry.

Antes ainda do intervalo, Sahilovic reduziu a desvantagem para o Hoffenheim. O Bayern entrou na segunda parte a vencer por 3-2.

O único golo da segunda parte foi o golo da igualdade. Kai Hederling passa para Roberto Firmino, que faz o 3-3 para o Hoffenheim.

Com o título entregue, os outros jogam plos lugares que faltam. O Borussia de Dortmund e o Schalke têm, neste momento, acesso direto garantido à Champions. Já o Bayer Leverkusen está ameaçado pelo Wolfsburgo no acesso à pré-eliminatória.

Em Inglaterra há, mais uma vez, uma mudança no topo da tabela. O Liverpool é o novo líder, graças à oitava vitória consecutiva, em Anfield contra o Tottenham. 4-0 foi o resultado deste jogo, que deixou os rivais dos Reds verdadeiramente assustados.

A começar pelo Manchester City, parado em Londres pelo Arsenal de Arsène Wenger. Os “gunners”, com este empate, puseram fim à série de vitórias dos “citizens”.

O Liverpool está em primeiro, com dois pontos de vantagem sobre o Chelsea, que perdeu, surpreendentemente com o Crystal Palace. O City é terceiro, a quatro pontos.

Vamos agora até Espanha, onde não há mudanças, graças a vitórias das três equipas que lutam pelo título. O Atlético de Madrid esteve a perder em Bilbau, mas Diego Costa e Koke deram a volta ao resultado, descansando Simeone.

O Barcelona venceu graças a um penálti do homem do costume, Messi, no dérbi contra o Espanyol. O Real Madrid, que tinha de vencer depois de duas derrotas, cumpriu o dever com uma goleada ao Rayo Vallecano. A sete jogos do fim, os três clubes estão todos num raio de apenas três pontos.

Vamos agora para Itália, onde um grande Nápoles parou a Vecchia Signora. Sem Tevez, a Juventus, cansada, perdeu no estádio de San Paolo e abrandou a luta pelo terceiro scudetto consecutivo.

Buffon não chegou para a Juventus. O Nápoles foi mais forte e venceu por 2-0. Vingou-se da derrota do início da época, quando os campeões italianos tinham ganho por 3-0.

Apesar de tudo, a Juventus continua à frente, com uma vantagem de 11 pontos sobre a Roma, que venceu o Sassuolo. A vantagem pode reduzir-se para 8 pontos, na quarta-feira, no jogo contra o Parma.

O Ajax está mais perto de um quarto título consecutivo na Eredivisie, ao vencer na trigésima jornada contra o Twente. A cinco jogos do fim, o Ajax tem uma vantagem de oito pontos sobre o Feyenoord, que é segundo. É uma vantagem confortável, mas que tem de ser bem gerida.

O Ajax provou por que é líder incontestado da liga holandesa. Ao receber o Twente, a equipa de Amesterdão não deu hipóteses.

Primeiro golo ao minuto 29 – Denswil cabeceia, depois do livre batido por Lasse Schone.

Foi o mesmo Schone a fazer o golo do 2-0, já na segunda parte. Uma jogada que começou em Bojan Krkić, que passa para Ricardo van Rhijn. É Schone quem faz o remate final, em cheio entre os postes.

Bojan fez o 3-0 final, ao minuto 65, com um tiro de fora da área, a passe de Davy Klaassen. O Ajax assina assim uma vitória, em casa, por três secos.