A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tunísia prepara-se para primeira eleição presidencial pós-revolução

Tunísia prepara-se para primeira eleição presidencial pós-revolução
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Tunísia ultima os preparativos para a primeira eleição presidencial depois da revolução de 2011.

Mais de 5 milhões de eleitores são chamados às urnas, numa das últimas etapas para dotar o país de instituições democraticamente eleitas, uma exceção na região.

Entre os 27 candidatos, o favorito para conquistar o poder chama-se Béji Caid Essebsi, um antigo dirigente dos tempos do antigo Presidente Ben Ali.

Foi presidente do parlamento nos anos noventa e ministro dos Negócios Estrangeiros uma década antes.

Os críticos da sua candidatura receiam que o país possa dar um passo atrás da aparente bem-sucedida primavera árabe. Mas Essebsi rejeita a ideia.

No entanto vai ter de enfrentar o presidente cessante, Moncef Marzouki que alerta os tunisianos para os perigos de o regresso de um dirigente do antigo regime.

De fora ficou o importante partido Ennahda, que optou por não apoiar oficialmente qualquer candidato.

A Tunísia é vista como um modelo a seguir na difícil transição para um regime democrático.